Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sentir

Confessado por Mulherde30, em 29.03.05

seducao1.jpg


Sentimos sempre a falta de alguma coisa. Eu sinto sempre. Hoje, precisava do sol.
Parece que o céu chora a minha felicidade. Estou assim, de sorriso na alma que o rosto não mostra.
Sinto paz...e no fundo, talvez precisasse sentir guerra. Porque preciso sempre de me esconder? Porque tenho medo de ser amada, muito mais do que amar?

Mas esta sensibilidade que sinto, que tenho, devo-a a quem me olhou e mais que isso me viu.
Consegui abrir o véu. É por isso a minha sensação de quase tudo. Quase eu. Quase eterno. Quase para sempre. Quase perfeito.
Já não me recordava desta sensação de ser Ser sem deixar de ser. De não ser a mulher eterna mas ser mulher presente e amada.
Quando se sabe que não há futuro, que não corremos o risco de sermos amados, tudo fica mais fácil. Apetece cair...mergulhar num mar azul sem medo de perder o pé...sem medo que a força desvaneça e não se consiga nadar para terra firme.
Quando se sabe que amanhã nunca vai acontecer, não precisamos de promessas nem fingimento. Precisamos sim sentir. É o que faço agora: sinto. E gosto.
Quando adivinhamos em alguem coisas que desejamos, desejamos tê-lo e ser nele e com ele, sendo nós. Sem perder o nome. Sermos essência. Deixar de lado os restos do passado e pôr pontos finais em histórias mal acabadas que tambem não apatece acabar.
Querer apenas recusar pedir, esperar, receber. Recusar seja o que for. Dar apenas.
Darmo-nos sem perder nada de nós, sem nos perdermos. Darmo-nos, só.
Encostar a cabeça num peito e saber que não é preciso mais nada para ser feliz.

Quanto ao final de semana que passou, vou usar as palavras de outro alguem. Talvez com medo de que não encontre a sintonia exacta para descrever. Talvez porque seja tudo mais fácil. Talvez porque encontre noutras palavras quase tudo o que quero dizer e não seria tão verdadeira. Muitas vezes no papel não se descrevem estados de alma...escreve-se apenas. E nesta altura, escrever não é o que quero, para não quebrar o encanto. Quero sentir e ter a certeza que vivi. Quero não pensar nem explicar. E não sei se transmitiria realmente o que me diz o coração.

"Quando veio, mostrou-me as mãos vazias.
As mãos como os meus dias: tão leves e banais.
E pediu-me que lhe levasse o medo, eu disse-lhe um segredo:
- não partas nunca mais.
E dançou, rodou no chão molhado, num beijo apertado, de barco contra o cais
E uma asa voa a cada beijo teu
esta noite sou dono do céu
Eu não sei quem te perde
Abraçou-me como se abraça o tempo
a vida num momento, em gestos nunca iguais
E dançou, cantou contra o meu peito, num beijo imperfeito roubado nos umbrais
E partiu sem me dizer o nome, levando-me um perfume
de tantas noites mais..."

publicado às 19:48

EM OBRAS

Confessado por Mulherde30, em 24.03.05

137591.jpg


Peço desculpa pelo incómodo...prometo ser breve.

Tradução: peço desculpa nenhuma...porque se não tenho escrito é porque no trabalho não me deixam e o mano roubou-me o computador e nem me deixa chegar perto daquela merda. O pior é que nem subornando com uma caixa de bombocas cedeu. Como castigo faço boicote e não vou à actuação dele. Pronto.
Quanto ao ser breve... é relativo. Se um homem me dissesse que ligava em breve eu pensaria que no máximo dos máximos seria no dia seguinte...enquanto que ele podia estar a pensar mais na hipótese do ano seguinte...ou nunca mais!

Desde a ultima vez que aqui escrevi, já passou muita coisa na vida desta miuda. Mas passou, como referi e bem, portanto não vale de muito escrever. Tambem já nem sei bem se foram coisas assim tão importantes. (Grande coisa, como que se aqui eu escrevesse coisas com alguma importância!)

O que sei é que ando ansiosa com este final de semana. Bem sei que não tenho razões, mas não controlo os nervos. Não consigo dizer:
- Vá Raquel, agora estás nervosa....pronto, já chega, agora já não.
É muito muito importante para mim... pior é que nem sei bem porquê, mas é.
Nesta cabecinha passa tudo. E se ele não gosta de mim? E se me acha feia? Ou bonita? Ou gorda? Ou magra? Ou alta? Ou baixa?
Credo, até fico cansada.
Isto claro, se ele vier, que diga-se, se o fizer é homem de tomates. E eu mulher de ovários! Sim, tambem tenho o meu valor.
Estou aqui com merdas e o mais certo é que chegue às 19.45 e parta às 20.00.
Ou então, cansada como estou porque quase nem consigo dormir com esta ânsia no peito, chego perto dele e digo:
- Olá...
E caio para o lado a dormir que nem anjo.
Era romântico...se ele pegasse em mim ao colo e me levasse...mas com a sorte que tenho, aproveita e foge nessa hora.
(Isto é a minha imaginação a fazer um filme)

Estas coisas já não me deviam incomodar. Que merda. Tenho 30 anos. 30!
E sinto-me como se fosse o meu primeiro dia de escola. Sou sempre assim! Deve ser por querer viver demais...ou então por esperar viver. Ou pior: esperar que a vida me olhe e me fale e me ame...sei lá eu!

Espero que tudo isto valha a pena...e se não valer, vale pelo menos a experiência.
É que preciso ter azar! Ele bem que podia ser meu vizinho...mas não! Tem que morar a anos luz de distância.

Deixa-te de merdas Raquel. Confiante. Sempre. Sorri. Sempre. Pensa. ...zzzzzzzz
É cruel. Já nem consigo pensar... já nem sei o que digo.

Como confissão: tenho a certeza de que tudo pode dar errado. Se der tudo certo vai ser fantástico! Soberbo!
Este final de semana vou lascar uma fatia de felicidade, e depois... viver com ela.

P.S. já tinha saudades de escrever aqui. Saudades...


publicado às 19:27

Só hoje...

Confessado por Mulherde30, em 14.03.05

131893.jpg

Quero apenas que o dia hoje termine rápido. Que as horas galguem os minutos.
Quero sair daqui, entrar no carro e partir. Hoje não vou ligar o rádio nem fumar um cigarro. Irei pelas ruas sentindo a noite que vem chegando, devagar...
Quando chegar a casa vou para o meu quarto. Já não vou precisar conter lágrimas nem forçar sorrisos.
Hoje não quero bacalhau com natas, nem profiteroles. E mesmo que veja pêra rocha ou uvas red globe não vou comer.

Vou pôr a água a correr...talvez até com espuma. Quem sabe as imagens que trago acabem por se perder por lá, quem sabe até faça de conta que a espuma é uma nuvem ou as asas de um anjo.
Vou pôr o cd "lesiem" para que os pensamentos não tenham voz.
Vou descalçar-me. Tornar os meus passos mais leves.
E ao despir-me, deixarei a roupa espalhada pelo chão. Como se ao despir-me espalhásse tambem a dor e mágoa contidas em mim...
De cabelo mal amarrado, vou mergulhar na banheira de água quente, para que não saiba se no meu rosto deslizam gotas de água ou lágrimas, na esperança de que limpe a alma... e assim, deitada, vou fumar um cigarro.

A água irá arrefecer. Nessa altura, envolverei o corpo com a toalha branca que odeio.
Vou escovar os dentes dos sorrisos amarelos que hoje ofereci.
Não quero ligar a tv, não quero ler. Hoje não vou ler. Hoje vou mimar-me. Vou passar o creme que dizem ser anti rugas. Dizem...
E vou pegar no hidratante corporal que tem cheiro a época feliz.

Poderia até dormir sem roupa, mas vou ter frio. Melhor vestir o pijama. O azul.
Vou desligar o cd que nesta altura irá na musica favorita... não quero. Dói ouvi-la.
Hoje não quero ouvir a voz de quem me pode dizer que tudo passa,... que um dia, quando menos esperar,...que vou ver,...que preciso de um novo amor...blá, blá, blá. Não quero ouvir tudo aquilo que já sei.Hoje não quero ouvir palavras que me possam fazer chorar. E por isso, o telefone pode tocar, hoje não vou atender.

Vou deixar que os lençóis me abracem, que a almofada seja o colo que não tenho.
Vou ligar o pequeno rádio de cabeceira para tocar em 59 minutos que espero não ouvir.
Vou fechar os olhos e adormecer. Sem pensar, sem lembrar, sem sofrer. Vou adormecer esperando apenas que amanhã chegue depressa.

Faz hoje precisamente um ano, que estava sentada a assistir de camarote a uma das maiores mudanças dos ultimos tempos. Sentada à espera de ver...
Há um ano era apenas a mera espectadora da minha própria vida... e pelo menos hoje, só hoje, não quero lembrar.
Só hoje...

publicado às 19:09

Tantas de mim

Confessado por Mulherde30, em 10.03.05

121494.jpg


Por trás do véu, existem tantas de mim!
Saio de casa de sorriso no rosto, de altivo porte, de bem com a vida.
E existo eu, deitada numa cama tão imensa, tão sozinha, com um sentimento de abandono em mim. Abandonada pelo amor, abandonada até pela Raquel que preciso e quero ser.

Parece até que me divido em mil numa só. Parece até aqui dentro sou vazia e cheia de nada.
Os meus dias multiplicam-se para acompanhar os outros nas dificeis caminhadas, para limpar lágrimas e oferecer sorrisos.
E depois existe a Raquel que não tem companhia. Nem quem limpe lágrimas.
Existo a rir por tudo...a chorar por nada.
Existo forte, rude, cruel e má... e existo eu de coração meigo, carente, fraca, sozinha.
Existe a Raquel coragem...existe a Raquel que quer sair da rede do medo.
Como me posso conhecer?
Como posso dizer como sou?

É como que se eu, assim, seja suficiente em tudo. Finjo que o amor carnal não me faz falta, que não preciso que a pele se rasgue, finjo que na minha loucura sou saudavel. Como se fosse feliz sozinha...
E existo eu, assim, triste sozinha. Com tanta coisa em mim para dar, com palavras meigas, com sorriso amigo, com carinho que quero e preciso dividir. Com falta desse amor feito de pele de carne e de sabor...

E com quem?
Por vezes o mundo parece-me cruel, os outros derrubam barreiras que eu construi e depois deixam assim a vida em ruinas... a minha vida.
E sei que quanto mais tempo estiver sozinha, mais custará deixar entrar alguem. Sei disso. E mesmo assim o medo de perder tudo o que possa construir me faz afastar de quem sei que ama, que quer e que deseja. Ou talvez não. Talvez seja ilusão..talvez não me amem, nem queiram nem desejem. Talvez.

Quando à noite me deito, faço os sonhos. Imagino o que sei que dificilmente terei...

Na verdade a falta de um carinho, de um amor, de uma paixão, chega a pesar.
E mesmo assim, quando o coração amolece, recuo. Digo as palavras que sei que vão magoar. Por vezes, se fizer com que me odeiem é sempre bem melhor, para que seja mais facil esquecerem-me. A paixão consome-nos, leva-nos ao extremo...e eu ia achar fantástico apaixonar-me. Mas há a Raquel que não quer, que se afasta.

Existe a Raquel que calça as botas de saltos altos, que cruza a perna e a Raquel que se senta no chão.
Existe a Raquel mulher...e a Raquel criança.
A que chora ao ver um gesto num filme e a que é indiferente.

Sou a contradição.
Sou tudo e nada. O riso e o choro. A noite e o dia.
O preto e o branco.
Sou o talvez...

E sei que é dificil ser tantas Raqueis.
E sei que sou um emaranhado de confusões.
E sei tambem que choro demais.
E sei que...nada...

publicado às 12:18

Água na Boca

Confessado por Mulherde30, em 09.03.05

vinteeoito.jpg


Ainda tenho água na boca...
A noite do mulherio foi.... fantástica.
Mas de manhã custou tanto levantar o cuzinho da cama! Tanto mais que não arrastei nenhum homem comigo. Eu sou assim, só ladro.

Mas o pico da noite, foi mesmo quando uma do grupo foi para o palco e toca de colocar as mãos no... na... do gajo. Foi o delirio total!
Não, não fui eu...eu sou timida.

Fiquei com a garganta arranhada com tanto grito e assobiadelas...sim, esta menina assobia (chiuuuu!)
Fui para as moitas para rir e brincar...foi o que fiz. Noite potente.
Sempre deu para regalar as vistas...tudo sem mexer. Esta parte é que era evitada...

E tanta merda para tirar umas calças... até apetecia chegar lá e dizer:
- Com licença...
E acabar logo com o sofrimento da mulherada. Tive medo...haviam lá as cotas quarentonas e cinquentonas...podiam ter um colapso. Mas achei fantástico estarem ali na gritaria.

O pior foi mesmo o fio dental a imitar pele de leopardo! Credo... mas depois, visto de frente, parecia ter ali bom material.
Pelo menos o rastilho prometia...

publicado às 12:09

O meu dia

Confessado por Mulherde30, em 08.03.05

aat.jpg


Hoje o dia é meu. E a noite tambem....
Costumava ser o dia da Mulher...agora, é o dia internacional da Mulher. Acho bem... aliás, depois das minhas fotos andarem por aí na internet, nem podia esperar outra coisa que não fosse internacionalização (credo, que palavrão!)

É o unico dia que tenho realmente meu.
Dia da mãe, por enquanto ainda não... e diga-se que encontrar o pai indicado está a levar muito tempo. O mais certo é que por este andar, quando finalmente o encontrar já estou tão velha que não posso ter filhos.
Dia de aniversário...vou tentando esquecê-lo. E os amigos já não acreditam que eu vou fazer (outra vez) 25 anitos.

Resta-me o dia da mulher...hoje. Meu.
E portanto, esquecendo desencontros, desilusões e tristezas, vou laurear a nêspera com o resto das pitas.
Estou numa excitação que não me contenho... até tenho medo de ter uma paragem cardíaca antes da hora.
Vamos ao strip...depois de jantar. Espero não ter uma indigestão.

Algumas deram de frosques à ultima da hora...é sempre a mesma merda.
É que se me dissessem que o Manel está com vontade de dar umas trancadas daquelas, ainda entendia... mas as desculpas chegam a ser tristes:
- Ah, tenho que ir às compras... tenho os miudos....roupa para passar....amanhã trabalho...
F****-se!
Nem quero saber...quem faz a festa vai e por isso já as avisei que boleia dou... pelo menos para lá. Não garanto que as traga de volta.

Luz na passerela que lá vem ela...

Neste caso ela sou eu.
Vou vestir preto... e vou íssima em tudo.
Cuequinhas fio dental pequenissimas, pretissimas, potentissimas...
Depiladissima...
Botas altissimas, de salto finissimo...
Vou lindissima... (gaba-te cesto roto que vais para a vindima)

E levo tambem as algemas. É que não vejo homem nu há tanto tempo, que na loucura, sou bem capaz de me agarrar à febra e não largar mais...
É por isso que não sei se volto hoje para trazer as meninas... béu béu
Vai ser a loucura total... ai meu deus, já não vejo uma pila há tanto tempo... e vai ser hoje, carago...sim, se ele não tirar a porcaria do fio dental ( já me parto a rir só de pensar que vou ver um homem com essa merda vestida) tiro-as eu,... à dentada!

As amigas como sabem do meu atraso sexual já disseram:
- Fazes muito bem...salta-lhe à espinha.

Isto somos nós na galhofa...aquilo é tudo cambada de ... paneleiros. Hoje em dia é gay.

Vai correr bem... vou arregalar as vistas e quem sabe se não arranjo um que faça uma sessão só para mim?
Ou quem sabe, arrasante como estou faça eu um a algum?
Estou tão boa, tão boa, que até tenho medo de cair de podre... eheheheh

A noite promete...
E o prometido é devido.

publicado às 17:32

Vou?

Confessado por Mulherde30, em 07.03.05

Não contava com isto, sinceramente.
E na verdade veio na altura certa, na altura em que precisava levantar este ego. Por não esperar é que soube bem... mas agora, não sei que fazer.

Ponto da situação:
Não nos vimos há 5 anos...merda, é mesmo muito tempo.
Tudo bem que de quando em vez falamos ao telefone, mas não é igual.
Tambem é verdade que apesar do tempo ter passado, eu não esqueci de nada teu. De nada. Nem do teu cheiro, nem do teu sorriso... não esqueci as conversas e nem do som da tua voz quando dizias que me desejarias para sempre.

Quem sabe não era mesmo verdade?
Mas seguimos caminhos tão diferentes!
A paixão durou enquanto existiu o verão, depois ficou na memória. O toque, os sussurros, o tesão, o suor... será que te lembras do mesmo jeito? Ou será que o tempo foi moldando esta história a seu prazer?

Como estarás agora?
Diferente, tal como eu. Mas aposto que os teus olhos têm a quela cor de mar, onde me apeteceu mergulhar no instante em que te vi... e mergulhei.
Tu tinhas-me. Era a diferença em relação a todos os outros que tambem me desejavam. Por isso te sentias orgulhoso, importante. Eu era tua. Naquele tempo tão curto para viver tanto. E nós sabiamos desde o inicio que seria assim...era paixão. Pura. Sem promessas, sem justificações. Sabiamos que acabaria...e mais, sabiamos em que dia acabaria.
A saudade lá fez que a matassemos uma vez, algum tempo depois...e acabou assim.

Agora, sei lá porquê, ligas-me mas as tuas palavras são um pouco diferentes do habitual.
Nem me deixas dizer olá.
Não me deixas empunhar as armas, nem lançar palavras.
Atacas-me antes que me aperceba de algo na tua voz:
- Quero ver-te. Preciso estar contigo.

Assim, sem me preparares. Eu pensei que tudo tivesse ficado lá atrás. Não voltei a colocar a hipotese de estarmos juntos de novo...por tantas razões!

A verdade é que quero, melhor, não sei se quero.
Que te ia dizer ao ver-te?
É muito tempo...
Ao veres-me agora, como sou, continuarias com aquele tesão que nos levava para a cama, ou mesmo na areia da praia ou no sofá 5 minutos depois de nos vermos?
Como será?

Valerá a pena mexer no passado?
Nada será igual...nós somos diferentes do que éramos.
E a parte pior... há muito tempo que estou assim, sem ninguem.
Ver-te, pode fazer-me ter de novo aquela paixão...só que agora custará mais. Estou mais carente. E tu, tu tens o dom de conquistar.
Conquistas com o que és...com o jeito, o sorriso, as palavras, o toque... conquistaste-me naquela altura...e sei que me poderás conquistar outra vez. Será isso que quero?

Que confusão nesta cabecinha...vou? Não vou?
Não sei.
Talvez certas coisas, pelo menos as mais belas, devem ficar na memória...tenho medo que ao reviver tudo se desmorone. E depois já não te recorde como te recordo agora.

Que merda! Não podias ter vindo numa altura em que me sentisse mais segura?
Mas era agora que precisava sentir esse desejo de alguem por mim...

publicado às 19:14

Ready for the good times

Confessado por Mulherde30, em 07.03.05

"I don't wanna clear the cobwebs from my head
time will bring them back i bet
So if you hear me say that i believe in love
don't make me feel ashamed.
I used to sing the saddest songs
and while in the meantime roaches used to climb my door
falling back down to the floor
i used to read survival guides
when my world was full of seven legged cats
But here i am with eight more lives...

I'm ready for the good times
ready to get it on
i'm ready for the good times
now that i'm not alone

I don't wanna look at fashion magazines
while someone does my nails
sitting here watching other people live
frozen by the fear to fail.

Cause everyday there's a war to fight
And if i win or lose never mind...
as long as you're my shelter every night
...
..."

publicado às 15:37

Quando a máscara cai...

Confessado por Mulherde30, em 03.03.05

10153066.jpg


Sinto-me desiludida. É bem feito, se estou desiludida é porque primeiro me iludi... e nem acho que ainda tenha idade para essas merdas.
A intuição lá vai dizendo para ficar longe...mas sabe-se lá porquê a vontade de estar perto vai aumentando.
Ouvem-se as palavras meigas, a voz nas noites frias, os sorrisos...depressa o ser humano se habitua às coisas boas.
E dizem-nos que são diferentes, para não estarmos à defesa, para darmos uma oportunidade a nós mesmos de sermos felizes... pois sim.
Há portas que se deviam manter para sempre trancadas.
Fogo de palha.

A máscara cai... no instante seguinte existe nada, fica apenas a desilusão. A tristeza por termos mesmo acreditado que alguem podia ser diferente. Mas não é. Ninguem é diferente.
Não existem milagres, nem principes, nem felicidade plena. Existe nada...

E pior de tudo é que se sofre por quem menos vale a pena...ficamos tristes com quem nunca mereceu este nó na garganta. Ficamos tristes por termos acreditado.

Para sempre não existe. Tanto nas coisas boas como nas más. Depois da desilusão vem a raiva por termos sido ingénuas ou inocentes, depois da raiva virá a saudade...depois da saudade virá nada.
Até ao dia em que o nada seja de novo preenchido pela ilusão...e quem sabe aí se volte a acreditar, mesmo que por um breve instante do tempo, que alguem pode mesmo ser diferente. E o nada será tudo outra vez...voltaremos a acreditar nesse "para sempre", que não existe.

Nem sei que faço aqui.
Vou sair, esquecer, beber, rir...dormir
Vou acordar com um dia fantástico para viver... de rosto erguido e o coração um pouquinho mais amargo, até ao dia em que gestos o adocem outra vez.

E aos poucos, vou perdendo a fé nas palavras dos homens... diz-se o que não se faz, o que não se quer e nem o que realmente se deseja. Tudo podia ser tão facil...tão sem fingimento.

publicado às 19:31

PATRICK (vulgo arqpatricio)

Confessado por Mulherde30, em 02.03.05

meninos.jpg


Tens razão... escrever sobre alguem é sempre dificil, principalmente se soubermos que essa pessoa irá ler.
Mas se me esforçar, talvez nem seja assim tão dificil.

Acostumaste-me a dares a cara com o nick "hipopotamo cantor"... e não entendo como te chamam de Patricio. Mas alguem tem esse nome?
Somos a prova viva que uma amizade pode nascer neste mundo onde não há rostos.
Pelo blog fomo-nos conhecendo e chegou o dia de nos vermos.

Falas de mim como se tivesse só qualidades, exageras um pouco, mas fico feliz por saber que me vês assim. A parte da coragem é verdade, a da cidade tambem...pronto, é tudo verdade mas em exagero. heehehh...falhou-te dizeres que das mulheres que conheces, sou de longe quem melhor conduz...que colocas a tua vida nas minhas mãos sem receio (palavras tuas...espero que não fosse tanga!)

E aproveito a oportunidade para te dizer que o bonsai já tem algumas folhas amareladas...suspeito. Será que o sentimento que tens por mim está em vias de extinção? Já te disse, se ele morre, mato-te.

E que posso eu dizer de ti?
Que és ponderado nas palavras, que tens nos amigos os alicerces da tua vida, aos quais dedicas tempo.
Talvez no topo dos teus 178 cm vejas o mundo de outra forma! heeheheh
Tens uma sensibilidade à qual não estava habituada. Vês os pormenores, és romantico... mas quanto a isso já te disse que nem sempre é bom.
Quando somos assim temos tendencia a ser muito mais magoados pelo mundo. Mas isso tambem faz de ti o que tu és...

E diga-se que fazeres tantos km para me vires ver, é de louvar. O teu humor faz com que me divirta contigo, que passemos horas na conversa, que falemos de tudo um pouco, que sejas sincero, amigo. Acima de tudo, és companheiro.
E ajudas-me a analisar os homens...obrigada migo... que seria de mim?

Claro que não posso falar muito, afinal só dormimos juntos uma vez! ehehehehehhehe... na beira do rio, depois de uma noite de moina, ali estavamos sentados a apanhar sol nas fuças dentro do carro, já a enrolar a lingua, sem dizer coisa com coisa e acabámos por adormecer. E não posso passar em branco o facto de ressonares! Como me ri quando ouvi o ronronar de leão...

És activo, bem disposto.... recusas-te a desistir de ser feliz. Mas acho que de vez em quando, bem podias tirar umas casquinhas dessas meninas que andam por aí. Faço-te a papinha toda: digo-te o que lhes deves dizer para as conquistares, o resto é facil. E que seja por uma noite ou uma semana, pouco importa...é que no atraso basto eu, os meus amigos que aproveitem.

Sabes o que realmente me fez admirar-te? Não misturares as coisas. Vieste para nos conhecermos, foi isso que aconteceu. Não me tentaste seduzir, isso agradou-me. A verdade é que uma pessoa acaba por se cansar desse tipo de homens.
És diferente sim. Tens bom coração...e isto diz tantas outras coisas.

E como confissão digo-te: se pudéssemos escolher por quem morrer de amores, escolhia-te a ti... mas os corações são teimosos!

Mas posso dizer que gosto de ti. E pronto, fica tudo dito.
Quando vens cá?

publicado às 12:24


O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D