Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Eu vou....

Confessado por Mulherde30, em 31.10.06

kaisen.jpg
Fotografia: Kaisen


Eu e o gajo ali do lado:
http://osmeusengates.blogs.sapo.pt ... vamos!

E tu? Atreves-te?

PS: ai credo que nem me aguento com tanta euforia. Tou possuida... parece que tenho o diabo no corpo!
.... e ele solteiro, disponivel...hummmm vai ser bonito, vai.

publicado às 12:42

Desta margem...

Confessado por Mulherde30, em 29.10.06

fim de tarde.JPG
Fotografia: Raquel

Hoje, com o final do dia, chegou tambem a vontade de me perder por aí. Perder-me em ti para que, quem sabe assim, me encontrasses. Sabes que tenho em mim esta necessidade de me perder sempre que quero ser encontrada?
Veio de mansinho aquela vontade de um aconchego, de um regaço, de um abraço.
Quisera eu que soubesses que esperei por ti... que soubesses que hoje já só esperava ouvir-te chamar o meu nome. Hoje, que seria capaz de soltar todas as amarras e partir sem olhar para trás. Chamasses-me tu...
Quisera eu que antes de ires embora me tivesses dito adeus, para que o meu coração tontinho não gritasse o teu nome pelas ruas, não andasse desalmado procurando, lá fora e por dentro de mim. Não andasse por aí perdido, desnorteado, gritando sem se cansar por ti.


Há tantos anos que não vinha a este lugar... e a neblina que já me parecia o nevoeiro espesso que se criou entre nós, onde já não consigo imaginar-te o cheiro, o sabor, onde já nem sequer sei de ti.... e eu ali, em silêncio, com o coração descompassado querendo apenas ouvir o meu nome colado à tua voz, desejando apenas o teu corpo espalmado no meu, de olhar perdido a pensar em ti, ouvindo uma musica que me fez deslizar uma lágrima ainda teimosa, e a ver o rio à minha frente, correndo devagar...

"Desta margem, d'onde o céu se abre largo, em arco sobre o rio
A esta hora em que o tempo hesita e pára deixando-se ficar
A esta hora tão singular, de mágicos torpores
Estendo os olhos, bebo aos meus amores
E deixo-me levar...

Deixo-me ir à flor das águas, assim como quem vai
Tão tranquilo, sem destino, enquanto a noite cai
Como quem sem outro rumo ou direção
Se deixasse assim levar pelo coração...

Vai de viagem, ninguem sabe p'ra onde vai
Vai sem bagagem, nem direção
Sai sem destino quando a noite cai
Sobre esta margem do coração...

A esta hora, estranha hora, em que tudo pára
Só minh'alma teima e voa do meu peito para fora
Deixo-a ir na maré de outras fantasias
Já se perde na espuma de outros dias, noutro lugar..."
Paulo Gonzo (a favorita)

publicado às 21:06

Canção do gajo...

Confessado por Mulherde30, em 29.10.06

homem.jpg

Dantes a canção era do bandido, mas como a tradição já não é o que era...


"Sei que estou cansado e já não quero ...
Falar mais contigo até de manhã.
( o que quero dizer é que estou cansado de ti e já não te aguento)


Deixa-me dormir dá-me umas horas
Que depois eu ligo, falamos depois
(ou seja, quando sentir a falta do calorzinho e não arranjar mais nenhuma...talvez para o proximo ano)


Queres ficar aqui à espera que eu acorde
Com pena de ti
(rezo para que não, que a outra deve estar a chegar)

Dá-me um tempo dá-me espaço
(e não me respondas: todo o tempo do mundo (que essa é do Rui) nem comeces a chorar e a dizer que te chamo gorda porque me deixas sem espaço. Ou pior, que me digas: vai para as Lezírias)


Que é bem melhor assim
(um gajo precisa de variar, não sei se percebes...)


Pensa bem se vale apena discutir
por uma tolice ou por quase nada
(pronto, só me atirei à tua amiga, mas isso não é razão para estares assim)

Ou se me preferes de cabeça fria
Logo de manhã quando acordar
(é que ela não deve passar cá toda a noite, tem o marido à espera, sabes como é)


Sei que vamos rir
E até jurar
Não mais discutir"


Olha Paulo, quem se ri sou eu. Tu desculpa lá...eu até gosto de ti. Vê tu que sempre comprei os teus CD e todos os que tenho nenhum é pirata. (Isto vindo de uma gaja pobre, é elogio). E tambem te digo que gosto de ti careca. Sim, faço parte do grupo que gosta de gajos de camisa preta e carecas ou cabelos a pente 1.
Mas tu não achas que desta vez foste longe demais?

Que digas que ainda dormes às duas tarde, que digas que o que deste foi demais, que fales dos nobres heróis do bar, ou que digas que já sabes que foste tu porque sobra sempre para ti, que és suspeito....ainda vá que não vá.
Que transmitas nesta musica o tipico gajo actual que diz uma coisa quando na verdade não é bem isso, ninguem te pode condenar. Claro, eles são tão machos! por isso escondem o que deviam dizer, mas adiante...


Tolero muita coisa...Mas pôrra Paulo, pornografia????
É que só hoje percebi... depois de tanto te ouvir hoje escutei-te e a minha alma ficou parva.

Pronto, tenho que aceitar a vida que queres levar que isso não é nada comigo, andares para aí com umas e outras dando essas desculpas do falamos depois que eu bem sei que é o mesmo que dizeres nunca mais, é lá contigo....
Mas passaste todas as linhas...


"Deixa-me ter um momento..."
Deixa meter um momento???? Meter???? Ó Paulo, por favor... nem parece teu!
Ó Paulo, os gajos até podem vir com a canção do antigo bandido, mas todas nós sabemos que ninguem mete por um momento. Pareces o outro que dizia que só metia um bocadinho. Ó pá, devias saber que gaja que é gaja é assim: ou metes ou não metes e se meteres que não seja por um bocadinho, era o que faltava. Essa dos 7 minutos já não cola.

Eu não sei... mas nesta pornografia escondida nas palavras ainda arruinas a tua carreira. Tu não te desgraces homem...
O que te vale é que pelo menos eu, lá te vou comprando um CDzito...
Gosto de ti pá, que hei-de fazer?
Mas tem lá tento nas palavras....é que não podes andar por aí a cantar aos sete ventos para te deixarem meter um momento...

publicado às 16:16

Futebol é melhor que o sexo...

Confessado por Mulherde30, em 29.10.06

paulo madeira.jpg
Fotografia: Paulo Madeira


Pronto... tenho que confessar que estas "my message for you" da TMN me fazem rir e mais que isso, me deliciam quando tenho a oportunidade (e saldo) de as enviar a alguem. Quando não as envio ouço-as e quase que dá no mesmo.
Mas desde o inicio dos tempos há uma de eleição...
Não, a TMN não me deu um tusto, é mesmo publicidade gratuita.

E hoje que estou mãos largas, melhor dizendo, com dedos irrequietos que me parece que só estou bem a escrever, vou-me chibar.


"As cinco razões pelas quais o Futebol é melhor que Sexo:

Primeira: é legal ganhar dinheiro a jogar futebol.

Segunda: há muitas pessoas que continuam a jogar futebol depois do casamento.

Terceira: no futebol, o equipamento de proteção é reutilizável.

Quarta: uma partida de futebol dura peeeeelo menos hora e meia!

Quinta: no futebol toda a gente acaba ao mesmo tempo."

Quem é que ainda prefere o sexo???


publicado às 15:13

Um inicio de dia...

Confessado por Mulherde30, em 29.10.06

barra 06.JPG
Fotografia: eu mesma

Hoje levantei-me cedo... quer dizer, para um Domingo, levantei-me cedo. É mais verdadeiro assim.
Como nos ultimos tempos tenho estado de abstinência em muitas coisas, incluindo moitas, acabo por descansar tanto que um dia destes crio raizes na cama. Pelos piores motivos, claro...já que podia lá passar este tempo todo e aproveitá-lo melhor. É que dormir, diga-se, é uma perda de tempo.

Por isso levantei-me, tomei o pequeno almoço e dei por mim a pensar: um dia bonito, vou até à praia.
E se bem o pensei, melhor o fiz.

Caminhei no paredão, pela beira mar enquanto pensava que a natureza é tão igual a nós mesmos...

Já reparaste Raquel no som do mar? Umas vezes tão agitado, outras tão calmo...
Como o amor que quando chega tanto nos perturba e acalma...

Já reparaste que se chegares mais perto de uma árvore despida, notas que já tem aqui e ali um rebento pequenino?
Como a esperança que renasce a cada dia...

Já viste que sentes na pele o quente e o frio?
Da mesma forma que sentes no coração as atitudes e as palavras doces e amargas...

Já pensaste que o vento te chega sem ser anunciado e que o sentes sem o veres?
Muitas vezes tambem o amor é assim...

Já pensaste que tambem o mar tem marés altas e baixas?
E que por isso nem sempre a vida é como desejavas que fosse?

Já notaste que num céu de nuvens, o sol brilha superior?
E é tão importante lembrar que a mágoa não ficará para sempre...

Já notaste que a manhã desabrocha a flor que a noite fechou?
Tambem o amor, qualquer tipo de amor nos fará abrir de novo o peito...

Já pensaste que à noite o céu é tão negro e mesmo assim lhe vês a beleza no brilho da lua e das estrelas?
Como é importante olharmos para dentro de nós e descobrir tantas estrelas que temos na nossa vida...


Já reparaste que o sol se vai embora e todos os dias se levanta?

publicado às 12:29

A noite vem vindo de longe...

Confessado por Mulherde30, em 28.10.06

katarinaSokolova.jpg
Fotografia: Katarina Sokolova

E para terminar o dia da melhor forma, vou fazer algo que gosto...
Assistir à chegada da noite num céu de tantas cores e ver as primeiras estrelas brilharem deixando os pensamentos vaguearem por aí.
Enquanto fumo em silêncio o cigarro da paz...antes de mergulhar numa banheira de espuma...

publicado às 19:00

Era outra vez uma vez...

Confessado por Mulherde30, em 28.10.06

divorcio.jpg

Não sei se é porque a hora vai mudar, não sei é porque estou a entrar em obras, não sei se é porque o dia hoje esteve azul, quente e perfeito para amar...
Não sei. Sei apenas que me apetece escrever. E pior que isso: escrever sobre as coisas que nem ao diabo lembra.
Esta tarde, por entre um milhão de pensamentos que me ocorrem por minuto, houve um que se salientou.
Tudo isto porque vi um casal sentado ao meu lado, ambos de olhar perdido, num silêncio que até a mim me incomodou. E foi por isso que lembrei de um amigo que costuma contar-me uma história sempre que vem de viagem e me pergunta se continuo sozinha. Eu lá lhe digo que sim. Ele sempre me diz que faço muito bem...

Era outra vez uma vez...

(recém casados)
Quando ele abre a porta de casa, ela salta-lhe nos braços, enche-o de beijos. Ele já adivinha em cima da cama, uma camisa sensual.
Mesa posta, velas...
A esposa bem vestida, cabelos penteados, perfumada.
Ela no entusiasmo diz-lhe:
- Meu quiduxo, coisa mai linda do mundo inteiro...senta-te no sofá a descansar que eu estou quase a terminar o jantar. Comprei camembert e fiz kouign amann... vamos começar com bouillabaisse, depois um boeuf bourguignon com aligot. Ah, tambem preparei um crème brûlée e o vinho que escolhi é de casta cabernet sauvignon.
Parece-te bem?

(um ano depois do casamento)
Quando ele abre a porta de casa, vai ter com ela à cozinha.
- Boa noite...
- Vieste tarde outra vez...
Ela coloca roupa na máquina e resmunga entre dentes.
Ele não lhe dá um beijo. Ela tambem não.
Atarefada dentro de um fato de treino, entre roupas a estender e a apanhar.
- O que é o jantar?
- Há aí restos do almoço. Arroz com bife. Põe no micro ondas e aquece. Se quiseres. Eu não quero. Quando terminar aqui vou passar a ferro e vou dormir.

(dois anos depois do casamento)
Quando ele abre a porta de casa... a louça amontoada, a casa suja, ele sem umas cuecas limpas para vestir. Nem sombra de jantar.
Ela está de pijama e robe, de pantufas e de rolos na cabeça, sentada no sofá. Pinta as unhas dos pés, como se o mundo lhe caisse em cima e ela pouco se importasse.
- O que é o jantar?
- O cardápio dá-te três escolhas do chefe: desenrasca-te; faz tu ou vai comer á tua mãe. O que preferes?

(três anos depois do casamento)
- OK, divorciamo-nos. Mas antes de nos separarmos podemos jantar?
- Vai à merda... quem te mata a fome que te dê de comer...

publicado às 18:54

Cores....

Confessado por Mulherde30, em 28.10.06

paulo calhau.jpg
Fotografia: Paulo Calhau

Sou mulher simples.
Sei semear batatas e colhê-las, sei tratar das plantações, sei depenar galinhas. Conheço os nomes da maior parte de frutas e de legumes. Sei lavar roupa à mão e pô-la a corar. E sei aqueles pequenos truques...de por exemplo tirar pastilha elástica da roupa com um cubo de gelo dentro de um saco de plástico.
Enfim...sou apenas uma rude mulher do campo.

Quando me dizem "subir para cima", "descer para baixo", "destrocar uma nota", sei ao que se referem e não estou a emendar o que as pessoas me estão a dizer até porque grande parte delas não conhecem outra forma de falar que não esta.
Se me falam que têm que comprar remédio para os ratos, eu sei que elas não os querem fortalecer, pelo contrário. Querem matá-los e por isso devem querer dizer que querem comprar veneno para os ratos.
Se me dizem: arranja-me um cigarro, eu sei que querem que lhes dê um cigarro. Vê-se logo que eu não sei arranjar tabaco.

Então porque raio me dizem:
Não é verde, é caqui.
Não é verde, é alface.
Não é verde, é tropa.
Não é verde, é esmeralda.
Não é verde, é azeitona.
Não é verde, é lima.
Não é creme, é camel.
Não é creme, é cru.
Não é creme, é mel.
Não é creme, é marfim.
Não é roxo, é violeta.
Não é roxo, é amora.
Não é azul, é turquesa.
Não é azul, é electrico.
Não é azul, é petróleo.
Não é azul, é marinho.
Não é rosa, é violeta.
Não é rosa, é malva.
Não é rosa, é fúchia.
Não é rosa, é lilás.
Não é cinzento, é cinza mesclado.
Não é vermelho, é framboesa.
Não é vermelho, é encarnado.
Não é vermelho, é cereja.
Não é vermelho, é bordeaux.
Não é bordeaux, é granada.
Não é laranja, é abobora.
Não é laranja, é açafrão
Não é laranja, é tijolo.
Não é laranja, é salmão.
Não é laranja, é alperce.
Não é castanho, é mostarda...

Pois, o preto é negro. E o branco? Angelical? Que paciência!
Eu cá dou-me por vencida.

Fonha-se... até Deus que colocou na natureza todas as cores que o homem finge criar, só colocou 7 delas no arco iris.

Não, isto não é um sorriso amarelo. É gema de ovo.

publicado às 13:32

Tu ou eu?

Confessado por Mulherde30, em 27.10.06

oscar andre santos.jpg
Fotografia: Óscar André Santos


Qual de nós naufragou?

publicado às 19:14

Não esperes por mim...

Confessado por Mulherde30, em 23.10.06

andriete.jpg
Fotografia: Andriete


Vem ter comigo, escreveste-me tu.
Eu não pensei muito, talvez porque de quando em vez é preciso libertar vontades, cansar o corpo para se dar algum descanso à alma.

Vem ter comigo, escreveste-me tu. Por vezes o corpo pede-nos um carinho que não temos para dar...e fui.

" Hoy quiero hablar de ti,
de lo que yo te amé.
Me dueles tanto, tanto,
que sólo soy viento.
Viento llegó. Viento pasó y cómo me acuerdo..."

Desliguei a musica, saí do carro. Dei alguns passos até te ver através das vidraças, lá ao fundo do bar.

________________________« »________________________

Vem ter comigo, disseste-me tu.
E eu, no meio de uma paixão que sentia nascer, fui. Fui sem pensar muito porque quando nos sentimos embriagados pelos sentidos, a nossa razão nunca tem lugar.
Olhei-me ao espelho antes de sair.
Sentia-me nervosa.

Como hoje.

Sentia-me ansiosa.

Como hoje.

Queria que aos teus olhos fosse bonita.

Sentei-me ao fundo do bar. Esperei por ti. Com o coração a mil. Sem saber o que fazer às mãos, a respirar profundamente para me acalmar. E imaginava o que me dirias quando chegasses. Imaginava até onde tudo isto nos poderia levar.

Esperei uma hora depois da outra. Deixando de lado a primeira ideia de atraso para outras. Que tinhas desistido e não tiveste sequer coragem para mo dizeres, preferindo fugir. Que não tinhas por mim um pingo de respeito ou de consideração.

(Os homens são assim...)

Senti-me a pessoa mais pequena, mais insignificante, mais frágil, mais desprotegida.
E o rapaz do bar, talvez por me ver desorientada, lá vinha de quando em vez perguntar se estava tudo bem, se queria alguma coisa (quero sim... quero acordar).
Esperei por ti, com a mesma força que lutei por nós. Nós que ainda não éramos nós. Nunca seríamos.
Esperei até sentir que caía por terra qualquer hipótese de continuar numa luta por algo que nunca tinhamos sido. E que cá por dentro queria tanto que fôssemos...

Como era possivel, depois de tudo? Onde ficavam as palavras? Os abraços? As mãos dadas? Os sorrisos? Os beijos?
Nada cabia num espaço tão imenso como o vazio que tinha no peito.E tudo o que sentia antes se transformou em desilusão, em decepção.
Porque é que quando mais precisamos das palavras sinceras, das respostas, elas nunca nos chegam?

Fiquei sozinha no bar...
Se te ligasse podia ouvir uma desculpa daquelas que só fingimos acreditar. Ou pior, podia nem ouvir nada...

Levantei-me, vim embora. E quando cheguei a casa, as lágrimas em torrente. Por me sentir tão estupida por ter acreditado.

(Afinal, foi sempre assim...)


___________________________» »_____________________


Voltei para trás. Entrei no carro. Continuei a ouvir a musica do ponto onde tinha terminado. Podesse a vida ser assim, continuar do momento onde se ficou.

"Dónde andarás? Lejos de mí?
Quién te dará, lo que te di?
Quien dormirá abrazado a tí, como yo...
Cómo me acuerdo, amor.
Como si fuera ayer.
Viento llegó, viento pasó y tú no estás aquí..."

Não esperes por mim que eu não vou... escrevi-te eu.

Talvez não o devesse ter feito. Inevitavelmente este meu coração nunca dá numa medida igual à que recebe. Melhor assim.

Vi-te a saires do bar, falando ao telefone, a rires e olhando o relógio. Seremos assim tão facilmente substituidos? Ou não... talvez sejamos apenas crentes.

Sabes o que custa? É sentir isto. Sentir que qualquer atitude minha, qualquer palavra sincera, é demais por pessoas como tu. Por saber que não há pessoas certas e acabar por ver todas como erradas. Que ao longo da vida me obrigaram a sentir a desilusão sempre que procuro lutar pelos nós que nunca seremos.
É só porque é custoso baixar os braços e viver sem acreditar. Que é cruel sentir que tudo o que se fez foi em vão. Saberás que o fardo é pesado quando sentimos que será melhor ficar por aqui? Que se perde a vontade de lutar porque já nada nos parece ser sincero nem verdadeiro?

Perde-se um pouco do sentido da vida. Quando olho para trás e vejo todas as histórias repetidas. E é triste...
É triste o que sinto quando entre uma desilusão e outra, penso:
Não vale a pena...

publicado às 20:31

Pág. 1/2



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D