Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Abaixo o amor!

Confessado por Mulherde30, em 01.08.05

Tenho que ser realista. O amor não dá com nada.
Tudo bem que sinto muitos tipos de amor...quando vejo o nascer ou o pôr do sol, quando os meus sobrinhos se lançam a mim e me enchem de beijos, pelos amigos, pela familia e afins.

E tambem é certo que o amor tem correntes. E são algumas correntes, que mesmo nos prendendo, nos tornam felizes.
Mas o amor muitas vezes sufoca-nos, muitas vezes nos impede de ver a realidade porque ficamos com o coração tão direccionado que nem a maior das verdades nos salta à vista.

Claro que conversas para boi dormir, tangas e mentirinhas de algibeira, já todos ouvimos. E diga-se que algumas até são muito boas de ouvir. Mas se há amor, tudo muda.
E depois, já se sabe, o amor, como tudo, tem um fim. E digamos que o fim de um amor é mesmo fodido.
Custa dizer "amo-te".
Claro....se o dissesse, das duas uma: ou nunca mais via o gajo ou então tudo mudava. Era como se de repente existisse ali um compromisso. E em menos de nada falavamos em juntar trapinhos e em encher a casa de filhos dos quais eu teria que tomar conta enquanto ele continuava nas moitas com os amigos.
Nã, nã, nã....assim não dá.


E dou por mim a pensar porque raio procuramos todos o amor, mesmo aqueles que dizem que não (como eu) se ele nem tem assim tantas coisas boas como aparenta?
Claro que a culpa é dos papás que desde sempre nos põem a ver desenhos animados, histórias da carocinha e outras merdas onde tudo acaba sempre bem para quem é bom e as histórias de amor são eternas. Mas há um pormenor ( e gaja que é gaja sabe que os pormenores, por vezes, são o mais importante), é que estas historietas terminam no momento em que resolvem ficar juntos....porque se continuasse, assim sim, não crescíamos iludidos. Veríamos logo que isso de amor é uma treta.

E depois acho piada àqueles que dizem que só magoam quem amam.
Até dá vontade de rir. Mas há alguem que acredite nesta frase? E estes seres continuam a usá-la.
Aqui entre nós eles pensam mesmo que as mulheres acreditam. Eles não sabem que nós só magoamos quem gosta de nós. Os outros, como pouco lhes importamos, nada do que possamos fazer ou dizer os afecta. Dizem tudo ao contrário...nós não magoamos quem amamos...nós magoamos quem nos ama.
Muito mais triste que mentir a alguem, deve ser iludir-se que a pessoa acreditou.
Homens...


Portanto, quem me diz o porquê de o amor ser tão procurado?
Ninguem, claro. Não há razões suficientes que me levem a apostar nele.

Portanto, abaixo o amor!
Mas vivam as paixões!!!!!

Essas que vêm e nos arrebatam. Que nos entorpece. Que nos fazem fazer e dizer loucuras. Que nos ocupam a mente e nos suam o corpo. Que nos fazem sentir em plena ebulição constante. Que nos fazem esquecer do mundo e dos olhos que nos condenam porque não sabem.
Que nos deixam com cara de tansos. Que nos deixam marcas de momentos intensos na alma e no corpo.


As paixões....
Que nos atacam a 200ºC e nos abandonam 15 dias depois, satisfeitos e com vontade de nos apaixonarmos outra vez.
Daquelas paixões que terminam porque sim, porque não há razão para continuar. Daquelas paixões que como um novelo desenrolamos e ficamos distantes e tão perto. Porque há sempre aquele carinho, aquela cumplicidade que nos une para sempre. Não há mágoas nem rancores...e de quando em vez, se apetecer um calorzinho, ainda nos procuramos para rir, brincar, amar da nossa maneira e partir.


Não sei se digo coisa com coisa. É que estou furiosa porque o tempo está uma foda muito mal dada, porque dormi demais e porque neste final de semana, no meio de um chamego, dizem-me:
- Penso tantas vezes naquele dia que passámos em S. Pedro do Sul...


Fo**-se!!! É que por mais voltas que dê, eu cá não me lembro de nada!
E isso preocupa-me. Gaja que é gaja lembra-se sempre dos amassos, onde, quando, como, porquê e de preferencia com quem e nome!
Mas pronto...ando a cansar o corpo para ver se dou descanso à alma. E gosto.
Se bem que chegar à parte de suar os corpos nus, ainda não cheguei. E nem sei porquê. Ou talvez saiba...porque sim.

Como confissão: estes momentos de tentar a tentação sem chegar ao inferno, purgatório ou quem sabe, ao céu...é um jogo potente!!!! Delicio-me...."ora chega, chega, chega... ora arreda lá pra tráz..."
E já se sabe, as noites são longas...e boas.
Mas com a sorte que tenho, quando resolver ir até lá, a esse céu ou inferno (mais esta), ele com certeza já tem aliança no dedo.

Seja como for, continuo a dizer: abaixo o amor, viva a paixão. Por enquanto...

publicado às 12:04


Confessionário

De JC a 01.08.2005 às 13:39

desculpa a expressão, mas o amor é fodido. E a ideia que nos venderam é a de que o amor é paz, tranquilidade e felicidade, quando não é. Fomos enganados, e o problema agora talvez seja encontrar uma definição individual do que é o amor, e depois viver com ela. É uma busca e uma aprendizagem contínua, esta a do Amor. Mas isto é um gajo a falar. Beijo

De LesttaT a 01.08.2005 às 13:52

olá Rakel...
"chegar à parte de suar os corpos nus, ainda não cheguei. E nem sei porquê. Ou talvez saiba...porque..." a paixão domina o corpo, cansa-o, dá-lhe forças que se queimam num momento, que sabem bem, mas.... o fantasma do amor está lá,como nas " histórias da carocinha e outras merdas onde tudo acaba sempre bem para quem é bom e as histórias de amor são eternas...", aquele amor que buscamos todos, quanto mais não seja para termos alguém para magoar, porque nos ama... Amor é magoar, mas é magoar sabendo que o fazemos a alguém que nos quer, e que como nos quer, nos perdoa, e que nos magoa também, sabendo que perdoamos... e isso não é uma ilusão... claro que magoamos até um limite, com a nossa maneira de ser, com os nossos gestos e gostos... não magoamos conscientemente, mas sem nos apercebermos, coisas... dizem uns... É por isso que dizem que o amor é um crime... que não pode se realizar sem cúmplice... Já agora... quanto ao cansar o corpo para descansar a alma... P a r a b é n s ... "descobriste a pólvora"... é que o tempo foi algo que inventaram para que as coisas não acontecessem todas de uma vez... E eu acredito que o amor tem de acontecer... e enquanto não acontece... sobra tempo para a paixão, não é? Desculpa pelo coment tão longo, mas a culpa é tua, hehehe... fazes-me pensar demais...:)

Beijinhos apertadinhos... LesttaT

De bcool a 01.08.2005 às 14:32

... beijinhos

De amanda a 01.08.2005 às 15:35

e já que andas nesse inferno... que conheças o teu diabinho bem rápido!!! beijos :)

De Bite For Delight a 01.08.2005 às 17:57

como dizia o outro o bem " O Amor é fodido" bjocas

De Marta a 01.08.2005 às 19:07

A paixão é de facto das melhores coisas que a vida nos dá...O ideal era que ela durasse para sempre e isso sim, seria AMOR. Eu prefiro acreitar que ele existe e que um dia o vou encontrar.

De loureiro a 01.08.2005 às 21:55

Deixem de lado esse romantismo... o amor resume-se a uma f.BOA!

De manelita a 01.08.2005 às 22:48

eu acho que acreditar ou nao tem tudo a ver com a fase da nossa vida: se estamos sem ninguém e feliz da vida, temos tendência pra dizer que isso do amor sao balelas. Se por acaso nos apaixonamos aí pensamos que afinal, até é verdade. E se já conhecemos o amor e tudo acabou, pensamos que o amor é algo bom demais para durar, que talvez exista, mas nao para nós. Enfim sao tudo fases. Hás de mudar de fase também, para melhor espero!

De Fentanil a 01.08.2005 às 23:40

O amor pode ser como uma anestesia, que adormece os sentidos, diminui a sensibilidade e nos coloca num estdo de coma programado. Mas ao mesmo tempo protege-nos da dor. A dor gerada pelo turbilhão de sentimentos que caracteriza a paixão, esse fogo que nos invade cada célula, orgão, sistema. Mas esse fogo por vezes queima, queima demais. O amor tem o condão de nos proteger, talvez cobardemente de todos estes perigos, num coma tranquilo, suave,anestésico...

De Vampiria a 02.08.2005 às 02:14

Eu acho que viva o amor e viva a paixão, cada um no seu lugar, no seu tempo. No entanto, tenho de subscrever o que acabaste de dizer...o amor é fodido...e a paixão é mesmo boa de foder...lol
beijocas* * *

Diz lá


Pág. 1/11



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D