Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Ainda há tempo?

Confessado por Mulherde30, em 02.04.06

ampulheta.jpg

Sempre pensei que ainda tinha tempo. Tempo para tudo.
Inevitavelmente, mesmo que se viva a vida sem pensar muito no amanhã, deixar as coisas correrem e seguirem o seu caminho, cá dentro, no fundo onde faz eco, sentimo-nos um pouco imortais. Como se ainda a vida estivesse todinha à nossa espera.
Mas não está.

Perguntam-me numa forma delicada quando vou abrandar de vida. Que esta é desgastante, sempre numa correria louca para aproveitar cada pedaço de cada um. Não ficar simplesmente a dormir, a descansar, mas querer sempre sair, conversar, viver.
Respondo-lhes que prefiro o mundo onde tudo é real. Mesmo a dor. Que não fico em casa, sentada em frente a um ecrã que não me dá mais nada a não ser dores de cabeça. Onde nada é palpavel, onde nada tem cheiro nem sabor...
Ser espectadora da solidão, do vazio, do silêncio pesado? Não creio...(Mas como segredo, sei que tem este cantinho onde venho escrever um pouco deste emaranhado de confusões que sou. Mas eles não sabem...)

- E filhos Raquel? Não pensas nisso?


Não respondo. Fico a pensar. Sempre senti que não podia planear filhos. Se o fizesse, possivelmente decidia não os ter ainda antes da concepção. Talvez por ver um filho como algo grandioso demais. Talvez por desejar tê-los numa relação daquelas quase perfeitas. Talvez por medo de não ser uma boa mãe. E isto, é uma grande confissão.


Mas hoje, de repente, vi que talvez queira. Muito. Possivelmente só tenho adiado as vontades. Possivelmente tenho vivido a vida a adiar a vida. E dei-me conta... hoje, numa esplanada de praia, que afinal já não tenho tanto tempo assim.


É pesado concluir que podemos viver a vida, ter as rédeas presas nas nossas mãos. E mesmo assim, mesmo assim, ela não nos deixa vencer esta batalha. Perdemos sempre.
A vida passa por nós...
Creio que seja a isto que se chama destino por cumprir.
E eu, talvez já não tenha tempo...


publicado às 20:07


Confessionário

De Rui a 02.04.2006 às 21:07

Esta é a primeira vez que sou o primeiro a comentar este assunto no seu blog. Esta é tambem a primeira vez que não me vou desfazer em elogios banais.
O discurso do relógio biológico é um assunto que não me surpreende. Antes pelo contrário é bastante maçador, para ser sincero. Contudo, tenho de reconhecer que nunca o tinha visto por escrito de uma maneira tão eloquente.
Correndo o risco de estar a ser parvo, devo deixar aqui o meu protesto contra esta ideia.
Os bebés não devem nascer só porque as mamãs começam a ouvir o alarme do relógio biológico.
Sou o mais possivel a favor do planeamento familiar, mas a ideia de ter um filho só porque tá na hora arrepia-me.

De Brain a 02.04.2006 às 22:21

Raquel, muito já se escreveu e falou sobre o tempo, quer de uma forma genérica, quer de uma forma específica aplicada à vida individual de cada um.
Sou defensor de que a vida é aquilo que cada um de nós faz acontecer e não, uma sucessão de acontecimentos, fruto do acaso.
Há também a frase: "Planos é aquilo que fazemos enquanto a vida acontece!" e no final de contas, o tempo, é aquilo que fazemos dele, ou com ele.
Sempre tive presentes quais os meus objectivos de vida, sempre os procurei atingir, mas tentando viver "o momento" ao máximo.
Se vivemos a nossa vida de forma intensa, aproveitando todos os momentos, sabemos que o "sentir" dos momentos é algo de necessário para a nossa realização. Assim, neste contexto, penso que só faz sentido gerar um filho, quando sentimos que para isso estamos dispostos e portanto preparados.
A ciência dá-nos provas diárias que a idade, já não é um obstáculo tão determinante para a geração de um filho.
Assim, digo-te com a segurança de quem já é pai, se é o que pretendes, não deixes que seja a "ilusão" do tempo, que te impeça de te realizares dessa forma.

De katia a 02.04.2006 às 22:45

Olá Vizinha Raquel, um filho não é só um desejo da mãe ou do pai ou porque já é tempo.
Um filho tem de ser o nosso maior projecto de vida, não penses se vais ser boa mãe ou não, pensa se vais conseguir para o teu filho uns bons pais. A criança é feita fruto de um amor entre duas pessoas, como tal vai necessitar dos dois para ser educado e crescer.
Na nossa vida um filho vai ser o nosso maior desafio de limites, …. Vamos ultrapassar todas as nossas capacidades até então imaginadas, como pai posso disser amo muito, muito o meu filho, e digo com muito orgulho, sou mais mãe que muitas mães. Pensa em ti, vive a vida, ama, sente o amor, deixa-te ser amada, cria o teu ninho como se fosses um pássaro, sente o calor do teu ninho e do teu protector e depois pensa no filho. Hoje em dia quantas gravidezes queres que te mencione depois dos 30. 1Beijo para a boazona da vizinha.


De ana passos a 03.04.2006 às 10:49

Nao te agarres ao tempo como desculpa para nao teres filhos, eu quando nasci a minha mae tinha 38 anos, portanto essa desculpa nao aceito. se estas a espera de relaçoes perfeitas muito honestamente te digo:ESQUECE. Nao ha relaçoes perfeitas, falo por expreincia propria, sou casada, e sinto que sou feliz, mas tb temos as nossas discussoes como todos os casais, e ninguem é feliz 24h por dia.A felicidade é "momentanea" se assim se pode disser.E muito sinceramente acho que nao erras ao viver o dia a dia sem pensar no futuro , é o qeu eu faço e o que tiver que t acontecer acontece, quer tu penses quer nao.Por isso...carpe diem...beijocas

De marisa a 03.04.2006 às 11:21

Aterrador!
Veridico, mas a solução passa por si...
Fenomenal... como sempre!

De luar a 03.04.2006 às 12:26

As coisas acontecem quando t

De luar a 03.04.2006 às 12:28

Voltei!!! Mais te digo se por um acaso engravidasse agora e tivesse certezas que teria um beb

De Passo a 03.04.2006 às 13:23

hum ... complicado isso ... filhos ... viver bem a vida n implica te-los ... dizem no etanto q o relogio biologico das mulheres é terrivel, q em certa altura bate mais forte. ha quem os tenha e n os deseje, ha kem n os tenha e os deseje e tb em ambas o vice versa :s ... passagem de genes p perpetuar dos tempos ;) ... se tal n for possivel, se nesta vida n for esse o teu caminho, n cries um karma p isso :) beijo doce

De ozzo a 03.04.2006 às 17:17

Olha! tu queres é atenção, estás na chamada ressaca do prazer, n adianta nada o que a gente escrever, quanto tiveres energias tu vais voltar para os 'bandidos' de novo eheheheeh, as mulheres são assim mesmo, como a Luar :"Tinha 21 anos, era solteira vivia com um homem que me batia" apesar de estar numa relação logicamente má, ela ficou numa relação emocionalmente excitante...logo n adianta nada escrever... a mulher quer emoções ("quanto mais me bates mais eu gosto de ti" ehehehehe) e as palavras ...leva-as o vento...apenas te digo uma coisa: "A vida fica mais simples quanto pensamos menos nela" ... xau

De AcesHigh a 04.04.2006 às 03:58

Tenho andado um pouco ausente sim..... muita coisa que fazer ao mesmo tempo e alguns projectos que já sairam do papel para a realidade que nem me dão tempo para me sentar à frente do computador lol.
Filhos... ui... É um passo gigantesco nos dias de hoje. Isto porque é caríssimo criar um filho e, para piorar, a muito pouca flexibilidade por parte do patronato na questão da gravidez (isto na grande maioria..... e pior ainda se forem estudantes e o que isso acarreta).
Espero que a tua situação seja melhor que grande parte das raparigas que conheço ou então que tenhas ajuda por parte da familia (que nunca costuma falhar apesar de falarem muito mas depois babam-se sempre... lol) e por parte dos amigos que também nunca falham!
Quanto ao de ser uma boa mãe: pela tua sensibilidade como escreves e transmites os teus sentimentos aqui, se realmente achares que está na hora de soltares mais uma alma neste mundo, vais-lhe dar coisas que nem sonhavas conseguir dar... Pra mim só existe um verdadeiro e incondicional Amor... o de mãe. (palavras demasiado bonitas até pra mim lol... mas é a verdade...) por isso deixa os vossos corações falarem porque é o que realmente interessa... mainada! Um Beijo

Diz lá


Pág. 1/5



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D