Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Contadores de histórias...

Confessado por Mulherde30, em 31.03.09

caminho.jpg
Fotografia: Pedro Moreira

Obrigado por seres um contador de histórias.
Este, é o vosso resultado final.

"Vivia naquela indecisão e não sei porque decidi arriscar...
Decidi que por mais que o risco saísse fora da esquadria, tudo faria mais sentido do que manter-me circunscrita a uma realidade de esboço limitado.
Decidida a correr o risco, coloquei a mochila às costas e fui. Os limites da realidade são muitas vezes impostos por nós próprios e por vezes há que deixar a razão e ouvir o coração...e voltar aqueles lugares mágicos onde já fomos tão felizes...E decididamente era o que queria, toda a movimentação do fazer, refazer, escolher, e voltar a pensar no que levar de vestir, e fazer a mala mais companheira que poderia ter, sem nunca esquecer na bagagem o compartimento guardado com os momentos que vivi e sorri complementando toda a vontade do dia em que decidi partir...
Há que também procurar criar-se boas cumplicidades com novos lugares, sozinho(a) ou não. Umas viagens mais marcantes que outras é certo, mas isso é inerente à fase da vida de cada um e daí ficarem intrínsecas as especiarias de cada aventura na memória. Viajar é das melhores experiências que existem e enriquecedoras humanamente! É aquilo que a Mãe Natureza nos pode dar e é isso que temos de ver, sentir, cheirar... Contemplar...
Partir foi facil, não sinto falta de nada, lá para trás tudo se mantem no seu lugar natural. Á minha frente o horizonte é preenchido pelo desconhecido...
Mar, numa noite em que só tu o mar e as estrelas podem partilhar sentimentos que em outros tempos nos fizeram felizes aos dois. Recordo aquele beijo... Aquele beijo como se fosse unico...como se ao nosso redor nada existisse...era o nosso momento...o nosso lugar..
Nao quero voltar… quero continuar a caminhada...continuo com a mochila as costas e caminho…para onde?
Caminho agora com a certeza de que "não tinha de ser". As memórias, essas, ficarão para sempre. Morrerei sabendo que foste o meu primeiro e puro amor. Esperei alguns anos (o que é isso?) não sei se por ti se pelo que fui construindo e hoje é a minha vida. Fui traçando as etapas da minha viagem (tantas vezes interior e solitária...), fui colhendo os frutos que encontrei pelo caminho, umas vezes arriscando, outras segura de que era o mais acertado. Hoje falo de ti como de um irmão que continua a fazer parte do meu ser, que aprendi a amar de outra maneira. Como aprendi a amar o meu companheiro, como amo os meus filhos...Quando é amor, é para sempre, porque o coração, felizmente, é o órgão maior do nosso corpo e a nossa vida é o que dela fazemos. Enquanto isso, eu continuarei na minha busca de não sei bem de quê... Continuarei na minha luta para escolher os melhores caminhos para ser feliz, do meu jeito...
E carrego comigo todos os momentos, todos os sentimentos, todas as dúvidas que me fazem questionar o rumo que vou levando! Eu sei que te trago comigo, mas o que eu espero é que, desta vez, estejas realmente comigo! Será muito pedir que o tempo volte ao momento em que as nossas vidas se separaram, para lhe mudar o rumo?
Poderá ser hoje, ou amanhã, o reencontro, e nesse momento, tudo o que foi volta a ser e daqui para a frente o caminho não será só meu, será nosso, porque alguém disse uma vez, "a felicidade não está no fim do percurso, mas sim no caminho até ele" (se não foi assim, foi algo no género).
Tudo o que foi...Que ilusão era a minha! Nada volta a ser o que foi. Mas é preciso confirmá-lo, na pele, no sangue, na saliva, na alma. Ter a certeza. Ninguém nos diga que é ou pode ser de outra maneira. Ver para crer, não! Quase morrer para acreditar que o fim do amor é possível. Só assim poderás começar a construir um novo amor, pedra sobre pedra, muito cimento e cal e fel e fé. O caminho está à tua frente, faz dele o que desejares.”

Como confissão: O melhor de partir, ainda é o prazer de regressar...

publicado às 18:00


Confessionário

De noelia a 02.04.2009 às 14:45

Obrigada, gostei muito de participar na história! Foi uma bela ideia. Eu, que gosto tanto de escrever, invento sempre mil e uma desculpas para não o fazer. A principal: falta de tempo. Neste caso, senti uma expectativa enorme em saber "como" é que ia a história...E gostei muito do rresultado final. Fico à espera de mais desafios...Um beijo.

De noelia a 02.04.2009 às 14:45

Obrigada, gostei muito de participar na história! Foi uma bela ideia. Eu, que gosto tanto de escrever, invento sempre mil e uma desculpas para não o fazer. A principal: falta de tempo. Neste caso, senti uma expectativa enorme em saber "como" é que ia a história...E gostei muito do rresultado final. Fico à espera de mais desafios...Um beijo.

De noelia a 02.04.2009 às 14:45

Obrigada, gostei muito de participar na história! Foi uma bela ideia. Eu, que gosto tanto de escrever, invento sempre mil e uma desculpas para não o fazer. A principal: falta de tempo. Neste caso, senti uma expectativa enorme em saber "como" é que ia a história...E gostei muito do rresultado final. Fico à espera de mais desafios...Um beijo.

De noelia a 02.04.2009 às 14:45

Obrigada, gostei muito de participar na história! Foi uma bela ideia. Eu, que gosto tanto de escrever, invento sempre mil e uma desculpas para não o fazer. A principal: falta de tempo. Neste caso, senti uma expectativa enorme em saber "como" é que ia a história...E gostei muito do rresultado final. Fico à espera de mais desafios...Um beijo.

De noelia a 02.04.2009 às 14:46

Obrigada, gostei muito de participar na história! Foi uma bela ideia. Eu, que gosto tanto de escrever, invento sempre mil e uma desculpas para não o fazer. A principal: falta de tempo. Neste caso, senti uma expectativa enorme em saber "como" é que ia a história...E gostei muito do rresultado final. Fico à espera de mais desafios...Um beijo.

De euzinha a 05.04.2009 às 01:05

A verdade é que quando queremos algo basta vontade e empenho para o conseguir fazer!Até contamos uma bonita história e gostei imenso de poder fazer parte dela. Espero que tenhas gostado e sê bem-vinda novamente. Agora cabe-te a ti contar-nos a tua aventura:) B'jinhos e fica bem

De catarina a 06.04.2009 às 11:35

O prazer é nosso. Ainda bem que regressaste.
Gostei bastante deste desafio e de poder dar o meu pequeno contributo para esta confissão. Beijinho.......

De F a 09.04.2009 às 23:13

Também sou um dos contadores :)...Fabulosa e sentida!

Um beijo

Diz lá



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D