Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Desejo dormente...

Confessado por Mulherde30, em 07.01.07

kazuo Okubo.jpg
Fotografia: Kazuo Okubo


Adormeci a pensar em ti. E acordei com um desejo de voar... contigo.
Queria esquecer o mundo e encontrar-me na tranquilidade de quem se dá só porque sim. Só porque nem sempre é fácil decidir entre o querer e o dever. Só porque há desejos que pulsam em nós e não nos deixam descansar. Só porque nos sentimos perdidos e dizemos que não, quando só queríamos esquecer a vida e dizer que sim. Deixando as horas e o mundo correrem devagar.
Queria ser livre contigo num qualquer lugar, sem pressa, sem medo. Deixar-me tentar, só porque tenho vontade de ti.
Queria que fôssemos capazes de viver e não apenas sonhar.
Chegar-me mais perto. Perder a vergonha e dizer-te sem pudor que quero fazer amor contigo. Agora.

Abraçar-te, encostar a minha boca à tua, procurar-te a língua. Embrenhar os meus dedos nos teus cabelos, tocar-te o rosto. Olhar-te. Sentir-te o pulsar do sexo, mil mãos em mim, docemente, nas nádegas, nos seios, nas coxas, na cintura, nas costas, no ventre.
Despir-te vagarosamente, espalmar a língua em cada pedaço de ti, demorando-me nas curvas do teu corpo, viajando para o sul do teu ser.
Encostar-te a paredes, rebolar na cama, no chão. Só porque o amor é grande, fazê-lo contigo, construindo-o.

Abocanhar-te o sexo, roçar os corpos, rasgar a pele. Por prazer. Por desejos contidos. Por vontade. A boca, a língua, a saliva mergulhada na carne do teu sexo duro, de veias luzidias, o teu sabor em mim.
Ser êxtase, sufoco, delírio, suor e prazer. Deixar voar os desejos satânicos e profanos, o tesão. Ser o verso e o reverso de ti. Puxar-te para mim, querendo-te num balanço como as ondas do mar, de arrepiar a pele e os sentidos.
Deslizar o corpo suado, molhado, colado ao teu. Sentar-me no teu regaço, descendo devagar. E tu a procurares o centro de mim, enchendo as tuas mãos nas horas em que não se pode esperar.
Movimentos vagarosos ou vigorosos. O mel no ventre, nos seios. O orgasmo. A libertação. O descontrolo. Soltar os gemidos.
Os corpos cansados e entrelaçados, perdidos e achados no meio de lençóis. O descanso. A tranquilidade. O recomeçar.
Banhos temperados, perfumados, a cama mesmo ali, gritando os nossos nomes num silêncio quebrado pelos sons do prazer. E nós na pressa de quem não quer acabar.
Sentir que a vida, nem sempre se passa lá fora chamando por nós. Muitas vezes ela está presa em quatro paredes, dentro de nós, enquanto uma espécie de amor encantado une as almas de quem se quer bem.

Enlouquecer numa loucura sã. Seguir a vontade e esquecer o resto do mundo. Tornar a vontade superior à culpa sem pensar no depois.
Desejos dormentes, latentes, que palpitam por dentro de mim. Como queria ter-te aqui, agora... para sentir os teus dedos no lugar dos meus.

publicado às 17:05


Confessionário

De pensarcusta a 07.01.2007 às 17:54

tens no teu blog algumas fotos que gostaria que me enviasses.

se nao houver problema, por favor responde para o meu mail ( casaeskina@hotmail.com) que eu depois envio uma lista como o nome dos post e a data.

obrigada, pensarcusta

De so tu a 07.01.2007 às 23:59

podes simplesmente copiar as imagens :D
utiliza o printscren :D

De AcesHigh a 08.01.2007 às 01:46

O que a Lua faz hein? ;) ... Muito bem escrito! Muitissimo profundo! Gostei imenso! UM BEIJO*

De jg a 08.01.2007 às 09:37

Com este texto fizéste-me lembrar um tema muito conhecido de Rita Lee. Excelente, parabéns,

AMOR E SEXO

Amor é um livro - Sexo é esporte
Sexo é escolha - Amor é sorte
Amor é pensamento, teorema
Amor é novela - Sexo é cinema
Sexo é imaginação, fantasia
Amor é prosa - Sexo é poesia
O amor nos torna patéticos
Sexo é uma selva de epiléticos

Amor é cristão - Sexo é pagão
Amor é latifúndio - Sexo é invasão
Amor é divino - Sexo é animal
Amor é bossa nova - Sexo é carnaval

Amor é para sempre - Sexo também
Sexo é do bom - Amor é do bem
Amor sem sexo é amizade
Sexo sem amor é vontade
Amor é um - Sexo é dois
Sexo antes - Amor depois
Sexo vem dos outros e vai embora
Amor vem de nós e demora

(Rita Lee)

De Haistack a 08.01.2007 às 09:43

Olá. Espero que o teu fim de semana tenha sido, no mínimo interessante, ou pelo menos tanto quanto poderia ser, para alquem que se sente da forma como descreveste. Espero que o estado de espirito se tenha materializado em imenso prazer.
Ainda ponderei em não deixar um comentário, mas não consegui evitar. Sorry. Bjs
ps: só uma pergunta....a pessoa do teu email, existe mesmo?

De Rui a 08.01.2007 às 10:09

Muito bom, sim senhora! Gostei muito de ler. Acho fascinante a facilidade com que expressas os teus sentimentos e os desejos que insistes em reprimir dentro de ti. Que correntes são essas que te prendem? Um amor impossível, talvez? Não tenhas medo de te perder, nós homens, acabamos sempre por procurar as mulheres perdidas. LOL
Dizes que és uma mulher de coragem, e eu acredito. Acaba com essa angústia, enche-te de coragem e declara-te lá ao sacana/felizardo que te serve de inspiração para escrever estas coisas. Depois chiba-te par a malta saber como correu a coisa ; )
Boa Sorte!

De J. Carlos a 08.01.2007 às 10:11

As mil e uma noites... eis o cenário de que me lembro, ao ler-te. Acho que és um alvo. Eu explico: Os psicólogos das disfunções sexuais não te podem descobrir, senão eliminam-te; é que, à borla, os teus textos reacendem o ardor sexual do mais impotente dos Homens e da mais frígida das Mulheres. De tal maneira que ameaças os seus empregos. Cuidado tigreza. ;)

De n a 08.01.2007 às 13:21

Olá Vizinha, parece que deste ouvidos ás minha palavras e começaste a olhar á tua volta. O medo é inimigo da felicidade. 1Abraço

De mi a 08.01.2007 às 13:53

Olá Rakel. Só ontem dei com o teu cantinho. Muito bonito. Tudo. As palavras, a imagem, a estética. E a música. Por causa dela, queria pedir-te um favôr, se não fosse incómdo. Gostaria que me dissessses os títulos e autôres das duas músicas: são espectaculares. Agradecia-te imenso.

De helena a 08.01.2007 às 14:33

Olá Sonia Raquel Neves.

Diz lá


Pág. 1/7



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D