Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O mundo pelos teus olhos...

Confessado por Mulherde30, em 22.02.06

Imagem 001.jpg

Quando cheguei ao hospital, estava ele, tão pequenino, com a testa encostada ao vidro da janela. Viu-me, correu para mim, deu-me um daqueles abraços de criança apertadinhos que só me fizeram chorar mais.

Voltou-se de novo para a janela, com os olhos tristes. Nem sei se via ou se olhava apenas para além de uma sala de espera cheia de crianças a chorar, de rostos de pais assustados...
Encostou a boca pequena e embaciou o vidro desenhando com a mãozinha uma menina.
- É a mana?
- É... a maninha está doente, sabias tia?
- Sei. E tu estás triste.
- Pois estou, tu tambem. Estás a chorar.
- Consegues contar à tia o que se passou?


Dizem que os gémeos têm uma ligação mais forte que outros irmãos. Nã sei se é verdade. Sei, isso sim, que via ali o meu sobrinho, tão frágil, de olhar tão perdido, a falar-me da irmã. A explicar-me, enquanto desenha no vidro embaciado da janela, como tudo aconteceu. A falar-me da irmã que está algures num quarto deste hospital pediátrico, transportada de um outro, vítima de atropelamento.

- Nós passámos na passadeira, tia... mas estava um carro estacionado e não víamos bem se vinha algum carro na estrada. Vínhamos da escola, já mesmo a chegar a casa da avó. Depois eu vi o casaco da maninha a ir pelo ar e pensei:" vou apanhar o casaco da minha maninha". E quando cheguei lá, a cara da maninha estava no casaco, era a maninha que ia no ar, não era o casco da maninha. Ela ia com aquele casaco cor de rosa que ela gosta e que fica chateada quando lho puxo, sabes? E depois a maninha estava a deitar sangue e eu queria pegar nela ao colo, mas não conseguia. Então gritei socorro... ajudem a minha maninha. E veio um senhor que me disse para não pegar nela e depois chegou muita gente a gritar que ela estava morta... e eu fui chamar a avó e tu não estavas em casa. Onde estavas tu, tia?
- Estava a trabalhar, meu querido.

Ele voltou-se para a janela. Eu de coração a rebentar-me o peito por saber dela lá dentro e dele ali, a assistir a tudo isto. Com sete aninhos? Não é suposto ser assim...

- Não fiques triste, vais ver que amanhã a mana já está em casa.
- Como sabes?
- Não sei, meu azeitoninha preta, não sei. Só acredito...
- Em Deus?
- Sim...
- Mas tia, e se Deus gostar tanto da minha maninha como eu e quiser levá-la para brincar com ele como fez com o avô?
- Ele não fará isso, meu amor...
- Não?
- Não...
- Como sabes?
- Tambem não sei...


Ficam as respostas por se dar... fica o peito e os olhos a rebentarem em lágrimas, o peso do mundo inteiro nos ombros, a incerteza, o medo, toda a dor, dividida e multiplicada por todos...porque não há respostas a dar. Ficam as horas de espera que nunca mais terminam. Vem a raiva por não se acreditar que a vida possa ser só assim, cruel.
No fim, de que vale tudo? Nada...
Fica a fé... e os olhos tristes de uma criança que vê o mundo da forma mais pura, mais simples, mais frágil. Só porque ama...

publicado às 01:16


Confessionário

De Diogo a 22.02.2006 às 02:31

Já sigo o teu blog à um tempo mas só agora é que estou a comentar pela 1ª vez.
Queria dar uma palavra de força para este momento dificil que tu e a tua familia atravessam e com esperança que tudo fique bem com a menina.

De Milocas a 22.02.2006 às 03:31

Não consigo dizer muito... Conheço a dor. o desepero. Força, é o que te desejo e todos da família. A ela também. e ao mano. coragem e força. acreditar que na pureza dos coraçõezinhos deles se constrói a esperança. tudo vai correr pelo melhor.

De Sandra a 22.02.2006 às 03:57

Venho cá muitas vezes mas nunca tinha comentado. Hoje não posso deixar de o fazer. Deixo-te apenas votos de força para toda a família e espero que a menina fique bem. Muitos beijinhos também ao mano Beijinhos

De Vampiria a 22.02.2006 às 03:57

Já sabemos que não há muito que possa dizer...não acredito em Deus, mas tenho esperança que a natureza siga o seu percurso mais belo, e a tua sobrinha fique bem rapidamente...saudável e feliz como é suposto ser uma criança. O "maninho" deve precisar de mais atenção e carinho para ter mais força que nunca...nem imagino como está o mundo dele agora...espero que a tenhas também para o ajudares...
Resta-me dizer-te que fico à espera de um próximo post a dizer que está tudo bem e não passou de um valente susto minha querida.
Um beijo e um abraço enorme*

De Vampiria a 22.02.2006 às 03:57

Já sabemos que não há muito que possa dizer...não acredito em Deus, mas tenho esperança que a natureza siga o seu percurso mais belo, e a tua sobrinha fique bem rapidamente...saudável e feliz como é suposto ser uma criança. O "maninho" deve precisar de mais atenção e carinho para ter mais força que nunca...nem imagino como está o mundo dele agora...espero que a tenhas também para o ajudares...
Resta-me dizer-te que fico à espera de um próximo post a dizer que está tudo bem e não passou de um valente susto minha querida.
Um beijo e um abraço enorme*

De Vampiria a 22.02.2006 às 03:57

Já sabemos que não há muito que possa dizer...não acredito em Deus, mas tenho esperança que a natureza siga o seu percurso mais belo, e a tua sobrinha fique bem rapidamente...saudável e feliz como é suposto ser uma criança. O "maninho" deve precisar de mais atenção e carinho para ter mais força que nunca...nem imagino como está o mundo dele agora...espero que a tenhas também para o ajudares...
Resta-me dizer-te que fico à espera de um próximo post a dizer que está tudo bem e não passou de um valente susto minha querida.
Um beijo e um abraço enorme*

De Joq a 22.02.2006 às 08:24

Olá Rakel.
Não sei o que dizer...
Não sei dar-te força...
Não posso fazer nada...
Mas é só para dizer que estou contigo acompanhar, nessa hora dificil.
Por favor vai-nos mantendo informados.
Por favor.
Jorge

De Bruno a 22.02.2006 às 08:49

A vida é assim é mesmo injusta. Raquel força vocês vão conseguir superar isto. Beijinhos Grandes

De teixeira a 22.02.2006 às 08:56

Rakel, desejo à tua sobrinha cor de rosa, a recuperação desejada e rápida. Que o pensamento seja energia para ajudar, vamos pedir nas nossas orações!

De Carlos a 22.02.2006 às 09:43

De tudo só ficam três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando.
A certeza de que é preciso continuar.
A certeza de que seremos
interrompidos antes de terminar.
Portanto devemos fazer:
Da interrupção um novo caminho.
Da queda, um passo de dança.
Do medo, uma escada.
Do sonho, uma ponte.
Da procura, um encontro.“
(Fernando Pessoa

Diz lá


Pág. 1/5



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D