Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Perdoa-me

Confessado por Mulherde30, em 18.04.05

57188.jpg


Perdoa-me.
Só peço que me perdoes porque aquele amor já não mora aqui.
Não me telefones de madrugada nem envies mensagens a dizer que ainda me amas...já não valem de nada essas palavras. Não me digas que me queres ter outra vez, dificilmente alguem me terá. Até tu.

Não me digas que queres morrer... a morte anula qualquer hipótese de ainda sermos felizes... e eu quero que sejas. Quero que vivas da melhor maneira que souberes.
Palavras...houve um tempo em que morria por ouvi-las de ti. Mas hoje não. Já não...


Perdoa-me porque não sou capaz de te retribuir em igual medida. Amei-te demais. Eras tu que enchias o meu olhar...era a pensar em nós que vivia os meus dias. E não me arrependo...mesmo sabendo que me retribuiste da pior forma.
Dei tudo de mim, talvez por isso hoje me reste nada para dar.
Perdoa-me...

Perdoa-me porque já não consigo dizer-te palavras que possam aliviar esse teu peito magoado. Mas o meu já não dói. Já não habitas nos meus pensamentos nem nos meus sonhos... já não existes em mim... e eu não consigo dizer-te o que não sinto.
O meu coração hoje pode ser triste, mas é livre...e o meu olhar, esse, já não pertence a ninguem.

De nada te vale a minha memória. Eu não volto...já não volto.
Deixei-te algures na berma da estrada, não devia, mas fiz... deixei para trás tudo o que fomos no dia em que soube que não voltaríamos a ser. Foi o melhor. Não tive uma segunda hipótese, como aquela que te dei. Deixei-te algures num momento em que o meu peito te viu sem bater mais forte.
Já não tenho raiva nem ódio, nem mágoa... nem amor.


Perdoa-me...
Liberta-te de tudo isso que ainda sou, do que ainda tens de mim em ti...segue o teu caminho...caminho que farás sem mim. Não te vou acompanhar...já não.
Quero saber-te feliz...quero um dia cruzar contigo e ver esses olhos tão negros brilharem.

Deixa-nos ficar lá atrás nas lembranças. Há coisas que não valem a pena. Já não vale a pena.
Perdoa-me por já não ser quem fui... perdoa-me por me ter tornado tão magoada...mas foi por ti. Como foi por ti que fiz tanto...como foi por ti que fui eu, que consegui ser eu.
Não lutes por mim...sou uma batalha perdida. Nunca voltaria a confiar em ti...como já não consigo confiar em nenhum outro. Tiveste-me da maneira mais plena que alguem consegue ser...mas já não sou assim.

Perdoa-me... vai e não olhes para trás. Deixa-me ficar num lugar que finalmente encontrei. Não me tragas uma guerra ao coração, agora que encontrou, finalmente, a paz.

Perdoa-me por já não te conseguir amar...perdoa-me.
Ficou este carinho de quem um dia amou e perdeu...o carinho de quem te viu como és.

Perdoa-me... estou cansada e não consigo. Já não consigo...

publicado às 19:40


Confessionário

De L.M a 18.04.2005 às 20:25

Bem agora estou baralhado..............mas o que se passa?? depois deste post anterior agora este??? espero que corra tudo bem aí para esse lado desse coração

De OlhoVivo a 18.04.2005 às 21:00

De Mais Interior a 18.04.2005 às 21:08

Caramba Raquel! que decisão! lembra-me um post que fiz em 95 e que está em www.diariodigital.pt/ediario/zzzz (chama-se "o lado cartesiano do estar.")
Mas olha que, mesmo uma peça de porcelana partida pode ser bonita - nunca será a original (como centenas, milhares de outras peças iguais ao que ela era). Uma peça partida pode ser bonita - mas de certeza que é ÚNICA.
E depois, como dizia o colega Double-O Seven - nunca digas nunca. Nunca é demasiado tempo. E o tempo, toda a gente sabe, é relativo.

***, n. mais interior

De Luar a 18.04.2005 às 21:55

Será que conseguiste "arrumar" essa paixão numa caixinha no seu devido local, para que um dia, anos passados, possas quando olhares para a caixa ter uma certa ternura e não apenas uma grande mágua?! Será? Por vezes doi, doi muito, parece que não vamos sobreviver, mas o tempo (feliz ou infelizmente) cura tudo e mais vale fazê-lo numa altura em que ainda nos resta um pouco de carinho do que mais tarde em que já só fica o desprezo...
Beijo grande e lamento pelo artigo em baixo mas se te conforta, não foi sozinho o meu tio também foi por essa altura.

De karina oliveira a 18.04.2005 às 22:07

Espero que num futuro quase presente também arrumar sentimentos. Estou a lutar ao máximo para conseguir a independência do meu coração e dos meus sentimentos. Dei tudo até à ultima gota, ainda quando nada parecia escorrer, eu iria buscar força a esta fonte de amor que começou a secar porque não chovia sobre ela! è como um poço onde se vai retirando tudo o que lá tem dentro. Chegamos a um dia em que dizemos CHEGA, não consigo mais. Mas tb acredito que quando reparam no bom que perdemos voltam atrás e nessa altura podem regar com água, lágrimas, chuva e já nada volta a encher o nosso coração porque este ficou trancado a qq tipo de sentimento por aquela pessoa. Se precisares de algo call me back.
beijos mtos Raquelinha.

De mokomaori a 18.04.2005 às 22:58

complicado essa opção..mas de certeza que fazes o melhor para ti.....nao penses no entanto que ja nao consegues..tu consegues, estas é meio esquecida....tao bonita que tu és...essa beleza nao permite tal coisa....beijo.

De blogui a 19.04.2005 às 00:04

Porque

De garanho a 19.04.2005 às 01:25

Há sempre um passado que nos persegue e que geralmente o faz na pior altura, na altura em que já não estamos disponíveis para ele... é normal! A mágoa que sentes e generalizas é também normal e de nada serve contraria-la. Só tu poderás reganhar a confiança que perdeste em ti e já não nos outros em que a projectas. Sabe contudo viver nos teus condicionamentos e não pares de viver porque a vida que em tempos quiseste está fora do teu alcance. Um beijo.

De AcesHigh a 19.04.2005 às 02:55

São caminhos que temos que seguir e opçoes que temos que tomar quando achamos que é altura! Mantem-te firme!! Um beijo*

De Passo a 19.04.2005 às 09:26

Todos os dias toma-mos decisoes, uma mais facil ou mesmo levianamente, mas ha outras q são mt dificeis de tomar, pois são dolorosas. Essas qd as tomamos q sejam bem pensadas, nc feitas num moment de desepero ou de raiva. Uma vez tomadas sejamos firmes e caminhemos pela estrada escolhida, sem hesitacoes, arrepndimento. É certo com a magoa p companhia mas por vezes viver é mesmo assim doi muito. Espero q o caminho te traga coisas boas, q certamente trará .. pois a vida é feita de "coisas" boas e máss komo diria laguem .. Deus é bom mas o diabo tb n é mau ;) beijos .. fica bem se poderes :-)

Diz lá


Pág. 1/3



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D