Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Quando a máscara cai...

Confessado por Mulherde30, em 03.03.05

10153066.jpg


Sinto-me desiludida. É bem feito, se estou desiludida é porque primeiro me iludi... e nem acho que ainda tenha idade para essas merdas.
A intuição lá vai dizendo para ficar longe...mas sabe-se lá porquê a vontade de estar perto vai aumentando.
Ouvem-se as palavras meigas, a voz nas noites frias, os sorrisos...depressa o ser humano se habitua às coisas boas.
E dizem-nos que são diferentes, para não estarmos à defesa, para darmos uma oportunidade a nós mesmos de sermos felizes... pois sim.
Há portas que se deviam manter para sempre trancadas.
Fogo de palha.

A máscara cai... no instante seguinte existe nada, fica apenas a desilusão. A tristeza por termos mesmo acreditado que alguem podia ser diferente. Mas não é. Ninguem é diferente.
Não existem milagres, nem principes, nem felicidade plena. Existe nada...

E pior de tudo é que se sofre por quem menos vale a pena...ficamos tristes com quem nunca mereceu este nó na garganta. Ficamos tristes por termos acreditado.

Para sempre não existe. Tanto nas coisas boas como nas más. Depois da desilusão vem a raiva por termos sido ingénuas ou inocentes, depois da raiva virá a saudade...depois da saudade virá nada.
Até ao dia em que o nada seja de novo preenchido pela ilusão...e quem sabe aí se volte a acreditar, mesmo que por um breve instante do tempo, que alguem pode mesmo ser diferente. E o nada será tudo outra vez...voltaremos a acreditar nesse "para sempre", que não existe.

Nem sei que faço aqui.
Vou sair, esquecer, beber, rir...dormir
Vou acordar com um dia fantástico para viver... de rosto erguido e o coração um pouquinho mais amargo, até ao dia em que gestos o adocem outra vez.

E aos poucos, vou perdendo a fé nas palavras dos homens... diz-se o que não se faz, o que não se quer e nem o que realmente se deseja. Tudo podia ser tão facil...tão sem fingimento.

publicado às 19:31


Confessionário

De Luar a 03.03.2005 às 20:24

Os Homens, sempre os Homens!!! Sabes levei anos a pensar como tu, entri nos 44 a pensar exatamente como tu e só quando fiz algo que na minha vida sempre disse "quem, eu?? - tão parvas, nunquinha!!" é que percebi que afinal existem Homens diferentes, bem diferentes, bons, que se preocupam connosco, que gostam de nós, nos tratam bem. Por isso sai dos 44 feliz e se não fosse essa ajuda, não sei muito bem como me teria aguentado com "isto" da minha filha! Sabes Rakel, pela primeira vez na minha vida enfrento uma situação dificil(tive muitas)mas tenho um ombro de um Homem para me apoiar e poder chorar á vontade, sinto protegida. Tudo isto para te dizer que se eu encontrei um (sei que nada é eterno, mas serve-me bem assim) Tu vais encontrar também! TENHO A CERTEZA!!!! Beijo enorme

De Karlos Alberto a 03.03.2005 às 22:13

Conheci o teu blogue ontem, apenas ontem...

Garanto-te que já ouvi e li palavras como as tuas muitas vezes e sinceramente penso que as únicas responsáveis são as mulheres, mães que educam os homens ! E honestamente os homens não são todos iguais, tal como as mulheres também o não são . Eu sou um admirador muito grande de Mulheres e acredita já lí um pouco no teu blogue e estou convencido que és uma Mulher que faz a diferença, portanto sabes que inevitavelmente um dia destes encontrarás "o teu porto".

De ** a 03.03.2005 às 22:33

Senti desilusão, raiva e amargura. Não me senti tocado. Senti apenas que o teu relato poderia ter sido o meu mudando a "sexualidade" do contexto. Não são os homens os culpados das ilusões nem tampouco as mulheres. Diria que são individualidades que nos ferem e magoam. Queixas-te de um homem, eu de uma mulher. De resto não encontro diferenças. Vivo no sonho.

De blogui a 03.03.2005 às 22:56

Acredito que estejas desiludida. Quem não se desilude com os outros? Mas não percas a fé, por muito que agora te pareça impossível recuperá-la. Acredita que há pessoas que valem a pena (às vezes o difícil é ter a sorte de as encontrar...). E tenho a certeza que pela pessoa que aparentas ser, não tardarão os gestos de alguém para te adoçar o coração! B´jinhho e um xi-coração!

De Daniel a 04.03.2005 às 08:23

Correndo os riscos de estar fora de contexto  sei que o mundo é o que é e não o que devia ser, o mesmo se aplica ás pessoas e aos homens. Não concordo com o “ninguém é diferente” acredito sim que ninguém muda..
Bem :)

De karina oliveira a 04.03.2005 às 08:48

mais vale ter o coração vazio do que sentir aquele mal estar de uma ilusão que deixou de ser o que para nós era!É mto mau quando tudo em que acreditamos (mesmo depois de sabermos que pode nao significar nada), mas acreditávamos!Pensamos sempre que pode ser diferente e que se calhar chegou a hora de ser diferente. Já deixei de acreditar à algum tempo e mesmo assim tenho momentos de ilusão.... Quem sabe um dia o vento muda e nos traz outra esperança ddiferente. Poder acreditar sem ter medo de falhar! beijos - Continuo a gostar mto do teu blog

De Passo a 04.03.2005 às 08:49

Tema complicado, esse q lanças hoje. Sendo eu homem, como tal, considerado suspeito ... só posso dizer q as pessoas, digo pessoas pq falo de ambos os sexos, são efectivamente todas diferentes ... pois q eu saiba nc encontrei ninguem igual. nem os gemeos, q o são fisicamente, são iguais na sua forma de ser de pensar etc.
Apenas me resta acrescentar q o "homem" ... aliás .. o ser humano tem a terrivel necessidade de encontrar alguem em quem se apoiar, o seu oposto, aquele q o completa, enfim o vulgo "alma gemea". É dificil, mts vezes impossivel de encontrar, e mts das vezes passamos p ela e n a identifica-mos embreenhados nos nossos proprios pensamentos, nos nossos proprios umbigos. Esta nossa procura, do yin ou yang, conforme o caso, leva-nos a cometer erros, e acreditar q é possivel, a acreditar, como diziam os antigos ... " q para cada panela existe sua tampa" dai q estejamos sempre a insistir nessa eterna procura e a nc deixar-mo-nos abater pelas adversidades . assim é o espirito humano :-). Eu pessoalmente acredito q é assim e acrescento q, por vezes akilo q procuramos nos outros, essa força esse ombro, está em nos proprios so temos q o conseguir descobrir e no dia q descobrir-mos q n necessitamos dessa alma gemea p ser-mos felizes ela vai certamente aparecer pois deixou de ser uma necessiade para ser simplesmente algo q cai do céu ... digo eu q n percebo nada disto :s

De eu33 a 04.03.2005 às 09:36

assino por baixo das palavras que dizem "...ninguém muda..."!
a dor começa, sem sentirmos, sabemos que estamos a amar alguém, e damos tudo o que temos e tudo o que não temos, e no fundo de tudo conhecemos aquele olhar, aquele sorriso, aquelas palavras tt vezes ouvidas noutros homens, noutras mulheres, noutras histórias...
e um dia acordamos e percebemos que não está ninguém ao nosso lado (e não estou a falar da partilha do dia a dia, apenas do ombro/do colinho que deveria ser nosso).
aí sabemos, finalmente, que uma vez mais nos desencontramos no tempo e no espaço, e de novo, ou pela primeira vez, a dor chega.
dói demais porquê? porque já estávamos preparadas para amar totalmente e o outro lado não soube, não teve capacidade de perceber ou então simplemente não teve vontade.
é então que a ilusão deixa de fazer sentido, e a cada momento a questão aparece: valerá a pena? o medo de recomeçar é enorme, e sobretudo a dor mói devagarinho e não sai de nós.
apenas e só porque amámos verdadeiramente.
aqui não existe género apenas pessoas...
fica bem,

De sandra a 04.03.2005 às 09:44

Quanta tristeza nas tuas palavras. Logo que tu que tens uma palavra amiga, de conforto, mesmo para uma desconhecida, como eu, k já te procurou para desabafar. Mas de facto, também tu és humana, de carne e osso, e principalmente mulher, que sonha e procura ser feliz. Quantas e quantas vezes sonhamos aquilo que vivemos, mas quase nunca vivemos aquilo que sonhamos.... Como eu te compreendo...Não percas a confiança, por mto dificil k agora te pareça vais reconquista-la. Adoro o teu blog...Fica bem. Bjinhos.

De Gambuzino a 04.03.2005 às 10:13

Mulher, mulher, eu não te disse já que fosses mais vezes nadar ? que repenssásses essa ideia pre-definida do gajo muito bom, muito meigo, Muito, muito ?
Eu acho que o melhor método é o acaso. Faz a tua vidinha, abafa na água e no suor as tuas energias e vais ver que, quando menos esperares, te aparece uma surpresa. E, por favor, sai desse clube dos trintões afecto-traumatizados que buscam o companheiro ideial. A mim, que vejo de fora, parece-me que todos querem tudo mas ninguêm dá nada porque reina o medo.
abraço pertadinho.

Diz lá


Pág. 1/9



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D