Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Roçar de pele...

Confessado por Mulherde30, em 27.02.07

sonhos.jpg
Fotografia: Rogério Felicio

Esta noite, fiz amor contigo.
Podia até dizer que construímos amor. É que sempre sinto que o sexo se faz, não o amor. O amor conquista-se e constrói-se.

Tu estavas em frente à lareira, à meia-luz, quando me cheguei perto, depois de um banho quente de banheira de águas perfumadas.
Tocava uma música que embala a alma. E eu, entre rendas e cetim, cheguei-me a ti, devagar. Os cabelos caídos pelos ombros, a roçarem as costas, ao de leve, em desalinho, ainda húmidos.
Sorri-te. Puxaste-me para ti, abraçaste-me… e começamos numa dança tranquila do corpo, numa contradança doce da alma.
A tua mão na minha cintura, a outra segurando a minha. Encostei a cabeça no teu peito. A sentir-me protegida, a saber que nada mais é preciso alem disto para sentir a plenitude de qualquer coisa boa que pode haver por dentro de nós. A sentir medo de perder o pé ao mergulhar neste mar revolto dentro de mim.
Disseste-me ao ouvido:
- Quero-te tanto!
Apertaste o meu corpo contra o teu, naqueles abraços que nos fazem acreditar que tudo é possível. Desapertaste o laço de cetim da camisa sem desprenderes os teus olhos de dentro dos meus.
A musica. O calor da lareira, as sombras chinesas nas paredes. Eu e tu.

Tu a dizeres que me querias, eu a sentir isso no corpo e no teu olhar. E eu no silencio a dizer-te que também eu.

Procurei-te a boca para pousar a minha, desvendei com a minha língua a tua. Trocas de sabores, de saliva. O coração a galgar as margens do ser, acelerado. Tu num sorriso a tocares-me ao de leve, eu a tirar-te a roupa.
A respiração que se torna ofegante, desenfreada, a humidade a tomar conta dos poros. A sentir por trás dos panos o teu sexo entumecido, e debaixo do rendilhado, o meu a pulsar por ti. A desejar que entrasses em mim. Num amor urgente, emergente, que não pode esperar.
E fomos parede, sofá e chão. Fomos água, espuma e cama. Sem limites, na plenitude, fomos um corpo noutro corpo. Sem ter um inicio nem fim. Fomos continuação sem deixar de sermos nós. Sem deixar de nos olhar, de nos tocar, de nos amar.
Sentindo-te num vai vem dentro de mim, num toque de pólen, num amor feito à flor da pele, num arrepio. Tesão, suor, sexo duro, pele, amor, gemido, sofreguidão, saliva, almas.


Acordei ainda a sentir-te em mim. Fiquei quieta a olhar o tecto, a saber que lá fora já brilha o sol e que tu… tu estarás algures, mas não aqui. Numa cama que não esta imensa e fria.
E arrastei-te todo o dia comigo. O teu sabor na minha boca. O teu cheiro no meu corpo. E um sorriso meio tonto, por ter sentido tudo de forma tão real, mesmo sabendo, cá por dentro, que há sonhos que nunca passam à realidade, apesar da vontade...



"Eu sei"... apenas porque hoje me sinto assim, vou pedindo baixinho aos céus que te tragam de volta para mim.

publicado às 21:13


Confessionário

De nene a 27.02.2007 às 22:16

BoaZona, Fantástico, está excelente, não interessa se é sonho ou realidade o desejo e o sentimento com que foi escrito e da maneira como foi transcrito está 5 estrelas. Pena o receptor não saber ler, “digo eu que nada sei”. È nestes momentos em que também tu entras dentro de mim… nos sentimentos, por vezes são mais fortes que a parte física. Um dia tive um sonho destes, e fiz o mesmo que tu, passeio o sonho para o papel e dei-o a ler á pessoa que estava no mesmo cenário que o meu desejo, não vale a pena dizer-te quem ela era….lol. Vou só dizer-te como acabei o texto,
“E das emoções descontroladas, saudavelmente desordenadas,
Só acordo com o sorriso de te ter apenas como meu porto de abrigo…” 1beijoca no sinalzinho, avisa para quando no Salsa tenho de pedir carta verde 48h antes.


De Rui a 28.02.2007 às 00:50

Eu de facto achei a noite passada muito h

De Passo a 28.02.2007 às 10:13

hum hum ... tera sido sonho ou realidade,n importara muito afinal o qu interessa é o q se sente ;) digo eu q na percebo nada disto :P bjokas

De jg a 28.02.2007 às 13:35

"Tenho mais pena dos que sonham o provável, o legítimo e o próximo, do que dos que devaneiam sobre o longínquo e o estranho. Os que sonham grandemente, ou são doidos e acreditam no que sonham e são felizes, ou são devaneadores simples, para quem o devaneio é uma música da alma, que os embala sem lhes dizer nada. Mas o que sonha o possível tem a possibilidade real da verdadeira desilusão. Não me pode pesar muito o ter deixado de ser imperador romano, mas pode doer-me o nunca ter sequer falado à costureira que, cerca da nove horas, volta sempre a esquina da direita. O sonho que nos promete o impossível já nisso nos priva dele, mas o sonho que nos promete o possível intromete-se com a própria vida e delega nela a sua solução. Um vive exclusivo e independente; o outro submisso das contingências do que acontece."
Fernando Pessoa, in 'O Livro do Desassossego

De Frustada a 01.03.2007 às 09:10

Sonho como esse tive apenas um...desejei k fosse realidade..na hora foi realidade..pk dizem k os sonhos sao a revelaçao dos nossos medos e ou desejos masi intimos...akeles k temos medo d pensar...arriscar...nao o transcrevi..talvez um dia tenha essa sorte..de voltar a sonhar...pois agora já tenho um lugar para o escrever e partilhar....Adorei cada palavra tua...bejinho...***

De Sonho Azul a 01.03.2007 às 09:19

Sabes Raquel, a tua escrita toca a minha no sentido de que, quando leio o que escreves, sinto tudo. Basta-me fechar os olhos, basta ler e eu sinto aquilo que queres dizer. E esta para mim é a escrita mais perfeita que existe.

E é sempre uma delicia vir aqui e ler sobre o amor da forma como tu o descreves, cada dia mais perfeito.

Um grande beijo e parabéns. Estás no teu melhor.

De M a 01.03.2007 às 11:06

Bonita foto e bonito texto.
Já sentia a falta da tua presença.
O amor é lindo...
Espero que corra tudo bem.

De euzinha a 01.03.2007 às 14:03

Há sonhos fantásticos que nos deixam com o tal "sorriso meio tonto" que se arrasta pelo resto do dia!Só espero que esse dia tenha sido bem solarengo para acompanhar esse estado de espirito...b'jinhos

De mulherde30 a 01.03.2007 às 21:23

P/ NENE: talvez o receptor saiba, mas não queira ler. O estranho foi sentir tudo como verdade. Não é costume estes sonhos estarem carregados de pormenores, quando acordo. Agradeço-te o beijo no sinal. Hoje precisos de beijos. Muitos... b'jinhos

De mulherde30 a 01.03.2007 às 21:24

P/ RUI: muitos podem tornar-se realidade, é verdade. Mas neste caso, é necessário que duas pessoas o queiram concretizar... b'jinhos

Diz lá


Pág. 1/3



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D