Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Será o fim um inicio?

Confessado por Mulherde30, em 15.01.07

Philippe Pache.jpg
Fotografia: Plilippe Pache


Não sei se me sinto triste, ou se me sinto feliz. A verdade é que vivi algo tão surreal, que me sinto ainda, a planar.


Há horas em que não sei que caminho seguir. Horas em que olho ao redor e não encontro um trilho por onde alguem já tenha passado. É quando me embrenho por lugares que nunca conheci, e descubro, do outro lado, algo que nunca imaginei.
E basta um quase nada, para mudar a nossa vida, para sempre.

Porque há momentos em que nos chamam e o medo não nos permite ir. Mas há momentos em que nos dizem, antes do raiar da aurora, "anda comigo, vamos fugir, vou-te buscar".
E o caminho fica mais fácil de fazer. A dois. Mesmo sem entender, vamos. Porque a algum sitio tudo isto nos vai levar.

Foi preciso sofrer, para que só agora, tanto tempo depois, encontre as respostas. Agora, que já nada há que possa mudar o rumo à história, me dizem que precisam de mim, que querem dormir nos meus braços.
Foi preciso chegar-se ao limite para deixar sair o que se guardou tanto tempo. E é na hora da partida que se sente que é preciso dizer, mesmo que se pense que os outros sabem, que os outros sentem o nosso amor.
Nessa linha ténue entre o estar perto e ter muitos kilómetros de chão a separar-nos, alguem nos diz que somos importantes, que há um sentimento grande no seu peito, com os olhos rasos de água. E tudo o resto fica tão pequeno, todas as esperas se tornam tão insignificantes... e voando, pairamos e planamos lá do alto naquela tranquilidade que se sente sempre que dizemos que apesar de tudo, afinal, tudo valeu a pena.

- Sabes, há momentos em que, com as asas feridas, não consigo voar.
E uma voz sussura-nos ao ouvido:
- As minhas asas são suficientes para nós dois...

Como confissão: Não sei se existem anjos ou destino, mas se existem, com certeza gostam de mim. É que ainda há pessoas de quem já pouco esperamos o que quer que seja, e do nada, chegam-nos de mansinho, em pezinhos de lã, e nos viram a vida do avesso. Mesmo que nessa mudança seja preciso dizer: até um dia. Porque a ternura, essa, dificilmente será esquecida. Porque o carinho, esse, dificilmente nos deixará o peito. Porque a memória de coisas tão sublimes, dificilmente se apagará. E a magia da vida acontece... enquanto vivemos.

Vocês, amigos de sombras, acreditem que este deve ser o momento que mais me custou partilhar convosco. Talvez por isso tudo vos pareça sem sentido, não sei...
Porque me custa encontrar as palavras, porque tudo ainda me está à flor da pele, porque as lágrimas me teimam em cair, porque os dedos não deslizam pelas teclas, porque a esta hora, ainda escuto as palavras, ainda tenho os cheiros, ainda queria voltar atrás e ter de novo aquele abraço de corpos enroscados, que nos entrelaça a alma, quando tudo o que desejamos é apenas isso. Porque o que vivi, o que senti, foi grandioso demais. E acima de tudo, porque me custa escrever enquanto tenho o peito assim, apertadinho.

publicado às 00:01


Confessionário

De Amaral a 15.01.2007 às 00:10

Hoje, o meu coment

De mi a 15.01.2007 às 00:58

:-D :-D :-D :-D

De latinnus a 15.01.2007 às 03:28

Olhares que enfeitiçam, pequenos gestos que seduzem, desejos em chamas, corpos inquietos nos quais as chamas da paixão nos faz queimar em delírios, faz dos nossos desejos os detalhes principais, faz inesquecíveis os sonhados momentos. E os beijos desejados são caminhos que nos conduzem para o infinito das almas, e onde o prazer faz destinar os corpos e enlouquece-nos com fantasias alucinantes que surpreendem nossa imaginação. As chamas da paixão prporcionam momentos de murmúrios e delírios em que o desejo dominante é o único alvo.
Paixão é algo incontrolável,sentimento para o qual não há explicações,que aperta nosso coração, inflama nosso olhar,marca nosso destino. É, enfim, a chama de dois mundos transformando-se em um; chama que faz arder nossos sentidos. É metamorfose de sentimentos...
É assim, pelo seu texto, que sinto vc está, Raquel.

De jg a 15.01.2007 às 09:21

Se uma pessoa diz a outra que a ama, a própria linguagem supõe a expressão "para sempre". Não tem sentido dizer: - Amo-te, mas provavelmente só durará uns meses, ou uns anos, desde que continues a ser simpática e agradável, ou eu não encontre outra melhor, ou não fiques feia com a idade. Um "amo-te" que implica "só por algum tempo" não é um amor verdadeiro. É antes um "gosto de ti, agradas-me , sinto-me bem contigo, mas de modo algum estou disposto a entregar-me inteiramente, nem a entregar-te a minha vida". JG

De jg a 15.01.2007 às 09:34

O erro que cometemos é quando procuramos ser amados, em vez de amar. JG

De Eddy a 15.01.2007 às 10:22

Raaquel: os teus dois últimos posts trouxeram-me lágrimas à alma. Disseste o que eu queria dizer e nem sei a quem. Tenho uma saudade imensa, uma dor profunda e nem sei de quem... Se calhar, seria de ti, se habitássemos o mesmo planeya. Mas sei que estamos a galáxias de distância. Por favor: continua a escrever... por mim. Obrigado.
Desculpa não escrever mais vezes. Nem é preguiça nem descuido. Sabes? Penso que é MEDO!
Um beijinho para ti. Do tamanho do mundo.

De Frustad@ a 15.01.2007 às 10:48

Essas tuas palavras sao uma mistura de sentimentos...uma decisao...indecisa...revejo-me em todas elas...será o fim o inicio??? o inicio de uma nova vida...de um novo amor...de uma nova esperança...ou será o incio de um novo sofrimento...de uma nova dor...da saudade dos momentos...das recordaçoes...pois as recordaçoes apenas servem para acalmar o nosso coraçao..nao podemos viver com elas e delas para sempre.....
Por vezes arriscar é viver...é alcançar a felicidade....

De vidinha a 15.01.2007 às 12:56

Pela primeira vez li um post neste blog em que me parece verdadeiramente feliz..

De N a 15.01.2007 às 13:30

Raquel, Mais uma vez te digo, não queiras apanhar a onda que já rebentou, olha para o horizonte de frente para o mar e tenta apanhar nova onda. Eu sei-te compreender muito bem mas não consigo escrever "tens razão".

De carla a 15.01.2007 às 15:19

Sem dúvida alguma, posso dizer, por experiencia própria, que o fim é o principio de algo novo. Muitos finais são dolorosos, mas depois da dor vem o renascimento. entendo bem as tuas palavras... passei pelo mesmo... agora sinto um novo começar...

Diz lá


Pág. 1/7



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D