Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Um dia eu sonhei...

Confessado por Mulherde30, em 03.10.09

erik reis.jpg
Fotografia: Erik Reis

O mês de Setembro já passou. Tão depressa que nem dei conta. Ando distraída.
Ou então é mesmo por envelhecer. Não se dá conta do tempo passar, por passar depressa demais.
Parece-me que antes os dias tinham mais horas. Conseguia fazer muito mais.
Mas isso era dantes. No tempo dos segredos. Em que tinha tempo para mim e para os amigos. Em que atendia chamadas ou pelo menos tinha horários decentes para lhes retribuir as chamadas. E o tempo para responder às cartinhas que me chegavam ao correio em vez de as deixar amontoar até deixar de ter coragem para começar a responder a tantas.
Quero acreditar que os amigos perdoam...
Era dantes...
Quando uma noite de moitas ainda me dava mais energia para trabalhar no dia seguinte, muitas vezes sem nada dormir.
Era dantes...
Naquele tempo em que sempre tinha tempo. E hoje não tenho tempo nem sequer tempo a perder.
Dantes... quando ainda tinha tempo para mim. Para ler, por exemplo. Para escrever. Para um banho de espuma, para conversas banais em esplanadas ainda mais banais.

E por estranho que pareça, ao envelhecer, sempre sinto falta de quem fui. Da energia inesgotável. Do riso fácil. De rir até doer a barriga e chorar.
Não que queira voltar a ser como era. Até porque acredito que hoje sou uma versão melhorada de mim.
Queria era não perder certos traços que tinha e queria juntar tudo, entendes-me? Mas se calhar depois, ficava demasiado grande para caber em mim...
Sou insatisfeita sim. Por natureza.
Ser o que sou e o que fui. Não deixar nada pelo caminho.

Mas por outro lado, vão-se ganhando outras coisas. Parece que tudo é muito mais urgente. Tudo tem que ser agora porque já não se pode esperar. Se calhar é por saber que a vida termina depressa. Como o mês de Setembro. E eu distraída...

Passa um ano e outro. Depois outro e ainda outro. Repete-se, renova-se.
E eu sempre nesta mania de planear. Aqui por dentro, traçar caminhos, metas, desejos ou sonhos. Como queiras. E fingir sem dar conta que tudo vai ser certinho assim. Tal qual se planeou. Vive-se numa ilusão, não concordas?

E a vida a rir-se de soslaio de mim. Dos meus planos. A espreitar-me pelas esquinas naquele riso de querer contrariar tudo o que desejo...
Faz parte. Tenho a certeza que nem nisto sou unica.

Quase sempre o inicio da Primavera é altura de renovações da minha vida. O mês de Março. Trocas o "Ç" pelo "C" e ficam os marcos da minha vida. Outubro não. Sempre me abre um pouco mais uma ferida antiga que dói...
Este ano já nem sei se Março foi importante. Se calhar foi e já nem lembro. A idade tambem faz disso... esquecer-me de coisas importantes.


Há quanto tempo me ouves falar deste sonho?
Possivelmente desde sempre.
A vida a transformar-se e eu distraída em horas de escrava, a olhar por um sonho.
Tu a dizeres que não podia ser assim e eu a dar-te razão, mas a acreditar cá por dentro, no fundo onde faz eco, que os esfroços são recompensados. A abdicar do que mais me faz falta, daquilo que mais importância tem para mim, para lutar.

Agora, vê tu... eu indecisa. Indecisa, como se algum dia julgasse isso possivel. É.
Indecisa por não saber que cores escolher para a casota. A casa. A minha casa. O meu lugar.
Que me posso dizer? Finalmente!?
Sim... finalmente.
Estou a arriscar... (Afinal ainda ficou algo em mim do que fui.)

E sabes o que digo à vida agora? A esssa mesma vida que sempre se riu dos meus planos?
- Fod*-te.

É bom sentir-me assim. Cumprida.
Mas se chorar, não te preocupes. É só porque me sinto feliz.

Como confissão: O pior de se atingir um sonho é que nunca se saboreia bem o gosto de o ter conseguido. Por parecer irreal...

publicado às 19:44


Confessionário

De F a 03.10.2009 às 23:24

Comentar para quê? Quando,no fundo, estou numa certa sincronia com o que escreveste. Muitas vezes há uma ansiedade física que nos faz sentir como se não houvesse mais tempo pela frente e que, quando nos comparamos com outros já realizados acresce ainda mais, em vez de nos lançar, está, no entanto, a atrasar-nos. Enfim... há que saber controlar a urgência mesmo quando sabemos que estamos a caminhar no caminho mais correcto ou escolhido. Objectivos é bom tê-los desde que não se tornem nossos rivais ao ponto de não nos apercebermos de que o nosso tempo vai passando despercebido, mas é mais dificil ainda deixar de os ter presentes no horizonte. E repara... É sempre preciso uma resistência oposta para andarmos para a frente e chegarmos ao objectivo, tal como um navio que precisa da resistência hidrodinâmica para poder ter impulsão ou tal como os pedais pesados de uma bicicleta nos fazem fazer força. O que não podemos deixar acontecer é deixar de sentir a resistência dos pedais porque será falta sentido de traquejo do tempo e perde-se a referência.;)

Gostei muito deste texto... É uma verdadeira essência. É como um perfume específico de uma flor!
Beijos

De asolpoente a 05.10.2009 às 20:55

Encontrei-te por acaso numa noite em que tudo me parece pouco e insignificante. Nas tua palavras reli meus versos inconscientes e compreendi a minha ânsia. Afinal estou assim porque o meu sonho de há doze anos está a materializar-se:vou casar...Mas ainda me parece irreal e simultaneamente demasiado real... e depois...com o que vou sonhar...em cada passo que materializa este sonho perco um pouco dele..
Ter de transformar algo de muito meu em nosso e de toda a familia e amigos está a tirar a magia ao meu sonho... parece que por construir o dia do casamento estou a destruir o sonho mais belo... Este medo está a tirar-me o gosto e já sei que quando olhar para trás o momento já passou...
Vou dormir e sonhar de novo....

De just me a 06.10.2009 às 10:51

Aiii Raquel! Que posso eu dizer...só que fiz planos, muitos planos, tantos planos que nem tinha tempo para vir aqui ao teu cantinho deixar nem que fosse um olá. Depois de 8 meses de planos, pormenores, para que nada falhasse...tudo falhou.
Sentia que tinha que ser desta, porque tempo estava a ficar curto e cada dia que passava era um dia a menos que me resta. Agora que os planos se foram, que fiquei sem nada, tento mais uma vez viver um dia cada de vez para criar novos planos. Mas não posso ficar muito tempo nestes " dias de cada vez", porque da última somei muitos dias de cada vez e dei por mim que tinham passados anos. Não posso cair no mesmo erro pela segunda vez...porque o tempo urge.

beijos.

De No a 07.10.2009 às 22:22

Há algum tempo que não vinha aqui...Por falta de tempo...Por falta de iniciativa...Por não me apetecer pensar...? Quando aqui chego encontro um lugar conhecido, que já percorri de cor, de olhos fechados...Vir até aqui é bom, é aconchegante, mas é também nostálgico, não que isso seja mau...Há quanto tempo não reflectia sobre o mês de Setembro e sobre a importância que ele tinha para mim? Agora todos os meses correm iguais e, por um lado, ainda bem...Que traces os teus planos, que realizes os teus sonhos, sempre com a consciência de que nada acontece como pensámos, que a realidade ultrapassa, quase sempre, a ficção! Obrigada por estes momentos em que me obrigo a esquecer "os outros" (que são a minha vida)e a mergulhar no meu íntimo, coisa cada vez mais rara, embora necessária e, até, urgente. Bjos, Nô

De Nen a 13.10.2009 às 13:16

BoaZona. Fizeste-me lembrar quando tinhas tempo para os teus banhos de espuma e depilar a caniche. Agora como andas nessa azáfama deve de estar a pobre toda cheia de pelo e fedorenta.bsj.

De An a 13.10.2009 às 13:20

Se comprou casa, ou está a pensar em comprar. "TEKA tem os melhores equipamentos para o seu lar".

De An a 13.10.2009 às 13:20

Se comprou casa, ou está a pensar em comprar. "TEKA tem os melhores equipamentos para o seu lar".

De Azulinho a 31.10.2009 às 12:00

Pois... ja alguem dizia, mais importante que o destino

De Azulinho a 31.10.2009 às 12:01

Pois... ja alguem dizia, mais importante que o destino

Diz lá



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Velhas confissões

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D