Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Hoje não quero saber....

Confessado por Mulherde30, em 18.05.05

Nem sei o que faço aqui....

Cidade tão estranha, tão distante, tão vazia.
Que raio me passou pela cabeça para entrar no comboio e perder-me assim?
Talvez precisasse.
Na loucura, quase sempre encontro um equilibrio....e certas loucuras trazem-me uma sanidade que não encontro noutro lugar.
Talvez sentisse a necessidade de ser estranha a todos, de me perder para ser quase igual, não ser diferente.

Deambulo por lugares desconhecidos, que tambem não me apetece muito conhecer.
Não hoje. Hoje não quero saber.

Recosto-me no banco traseiro de um taxi e olho a cidade. Vejo-a.
Talvez nem seja assim tão feia...talvez agora que faço este percurso com a alma calma, lhe consiga adivinhar outra beleza.
Levo os óculos escuros e o taxista olha-me de quando em vez de soslaio. Não me incomodo. Hoje não quero saber.

Deixa-me à porta do hotel e pergunta se preciso de ajuda. Estranho....aqui ninguem ajuda ninguem...
- Não, obrigada.
Deito-me na cama e ouço o som abafado do transito.
Hoje precisava estar assim. Num quarto de hotel. Impessoal.
Amanhã, quando partir nada de meu ficará aqui. Quando chegar um outro alguem, é como se nunca eu tivesse existido...e no entanto levo a história na memória.
É a minha, não a posso abandonar.

Vou para junto do rio...quem sabe ele me banhe os pés.
Corre uma brisa, que ao passar nas folhas das árvores, provoca um som como que se me pedisse silêncio. Ainda bem, hoje tambem não me apetece falar. Preciso ouvir o coração que grita e que não lhe entendo as palavras.
Um vento mais forte arrepia-me a pele. Eu gosto. Faz-me sentir.
O sol brilha não muito quente...mas talvez seja o suficiente para me aquecer o peito.
E ao reflectir na água dá-lhe uma tonalidade azul... e uma beleza como que se as pequenas ondas fossem gaivotas com asas de cristal.


Passam os teleféricos.... como passa tudo em nós.

Talvez seja hora de partir....talvez seja hora de regressar a casa, de refazer histórias. De colocar "talvez" em vez de não, de colocar reticências em vez de um ponto final.

Espero o combóio e vejo o quanto sentimento paira neste ar. Talvez por isso esteja sempre vento aqui...para levar para longe palavras que se dizem no ouvido, gestos que me causam ternura.... lugares de quem se abraça porque parte e porque chega...lugares de encontros, de desencontros....de começos, de fins... de partidas, de chegadas.
De lágrimas, de sorrisos...

Tambem eu já vivi tantos momentos assim. Mas hoje não. Hoje não me despeço de ninguem, nem ninguem me esperou à chegada.

Entro no combóio e tenho o coração tão leve que me esboça um sorriso.
Ainda bem que vim... sinto-me feliz.

Mas hoje não me apetece explicar mais nada.
Hoje não quero saber.


(Lisboa tem o seu encanto....)

publicado às 12:10


O que pensas:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D