Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Pele que grita...

Confessado por Mulherde30, em 05.05.05

21963.jpeg


Os dias têm sido imensos...e as noites, essas, longas demais.


E tenho pensado em tanto que vivi, em tanto que esperei, em tanto que não consegui.
E o pior, muitas vezes, é não ter respostas para perguntas que faço. Talvez sejam sem sentido. Rodopiam em mim como se me quisessem sofucar. Mas eu não sei, não sou eu quem sabe as respostas. E tudo me parece ser possivel.
Abraço-me na ânsia que o sono chegue depressa, que afaste imagens de mim...


E no meio de pensamentos destroçados, sei que algures fiz tudo errado, só não sei onde.
Cruzei linhas que não me eram permitidas, acreditei em palavras. Uma vez mais acreditei...uma vez mais me decepcionei.
E quantas vezes não decepcionei eu alguem?
Quantas vezes não dei o que esperavam de mim? Um carinho, uma palavra, qualquer coisa que nunca deixei sair. Quantas vezes magoei sem saber?

E sei que perco. E perder, quase sempre dói.
Sei que acreditei em algo que afinal, a vida me provou mais uma vez, que não existe. Mas eu teimo. Eu preciso saber, mesmo que as palavras me tragam a maior mágoa. A mágoa passa, as palavras ficam...mas pelo menos sei. Fico sem duvidas. As duvidas que me fazem ficar acordada e dividida entre o querer e o dever. A duvida que não me deixa saber qual é, afinal, o meu lugar: se longe se perto.

As vozes que nos chegam de mansinho, que nos garantem ser diferentes e que nos provam que são iguais.
As vozes que querem algo de nós que não somos capazes de dar, que nos pedem o que nós tambem pedimos.

Fecho portas devagar...rasgo a pele com as palavras que não posso dizer...com prazeres que não me são permitidos.
Porque o coração está cá...batendo mais calmo, dorido...mas vivo.
E num dia qualquer tudo será lembrança. E num dia qualquer já nenhuma palavra fará qualquer diferença. E num dia qualquer já não há regresso. E num dia qualquer a memória já nada nos traz. Talvez venha um sorriso de saudade, talvez...
Porque num dia, eramos tudo...no outro nada.
Porque nesta vida de faz de conta...passamos de bestiais a bestas com tanta facilidade como de bestas a bestiais. E não compreendo. Ou talvez compreenda, mas não aceito ser igual. Não quero ser. Não posso ser.
Era tão mais fácil se todas as palavras fossem ditas...se não houvessem máscaras ou fingimento...tão mais fácil! Era tão mais fácil poder olhar e dizer tantas coisas que o coração grita e que a boca cala! Era tão mais fácil poder odiar. Mas sou assim: quando gosto, gosto. E nunca sou capaz de deixar de lado esses amores, esses sentimentos... mesmo que só me façam mal.

Porque se fala o que não se quer? Porque se diz o que não se sente? Porque se fere quando se quer apenas amar?
Sinto-me cansada de uma guerra que não escolhi, que não procurei e que me faz sofrer.
Uma guerra que chegou sem me avisar... e que partiu deixando-me derrotada.
Não quero mais, estou cansada.
Quero que o tempo volte atraz e refaça todo o mal que fiz...todas as decepções que causei... ou que o tempo passe depressa e me permita esquecer.
E sei que isso vai acontecer.
Sei que na mágoa vou aprender de novo a acreditar...e quem sabe amar.

Que as lágrimas deslizem pela face, que se transformem em pedras e que em pedra se torne o meu coração.
Porque se sofre sempre por quem menos merece?

Há tantas arestas que preciso limar! Tantas correntes das quais preciso me libertar! Tantas palavras e gestos que preciso esquecer!

E como confissão: sim, estou carente. Queria apenas aquele abraço que apertado e triste me pudesse fazer chorar. Preciso tanto libertar-me de lágrimas que tenho presas em mim...queria tanto ouvir uma voz que me dissesse: Gosto muito de ti.
E que por essas palavras a pele se rasgasse e gritasse: Tambem eu gosto de ti. Muito.

Quem sabe então assim...

publicado às 16:58


Confessionário

De Passo a 06.05.2005 às 12:09

Sempre,
que te sintas triste,
sem animo,
sem alma,
para dar um passo sequer,
lembra-te do que foste.
Sempre,
que te sintas morrer,
que a vida

De SAM a 06.05.2005 às 12:14

De uma delas a 06.05.2005 às 12:24

psst, chega aqui a outros 30...

De CEO a 06.05.2005 às 12:34

o blog do Sam esta as moscas ele vem aqui com o mesmo sentimento que os arabes do bin laden tem do ocidente ou os escaravelhos do deserto que roubam bolinhas de bosta uns dos outros INVEJA

De son's a 06.05.2005 às 12:36

Poderia dizer muita coisa mas acho k seria desnecess

De David a 06.05.2005 às 12:50

S

De SAM a 06.05.2005 às 13:33

NAO ESTEJAM A DIZER ESSAS MERDAS É TUDO UMA GRANDE NEGAÇÃO A PUTA DA VIDA...É NARCISISMO NOSSO PENSARMOS QUE SOMOS ESPECIAIS, E QUE SE FORMOS BONZINHOS SEREMOS RECOMPENSADOS...NASCEMOS, CRESCEMOS FICAMOS BURROS CASAMOS TEMOS FILHOS E MORREMOS CARALHO!!! NO MEIO DISTO TEMOS A MERDA DOS PATRÕES, A CONTA, A FACTURA O CONSUMO OBRIGATORIO, COLESTEROL, A MERDA DO EXAME, A MERDA DA NOTA, O DEFICE, AS FERIAS,O HORÁRIO, O PONTO, O VISA, OS SOGROS, OS CUNHADOS, A CIRROSE, CANCRO, SIDA, HOJE TENHO CAVALA(O) FODO, AMANHA NAO TENHO NAO FODO, HOJE TENHO GUITA BEBO, AMANHA NAO, DEPOIS NAO SEI, O EMPREGO O DESEMPREGO, AS MANHÃS, A CAFEINA, A CELULITE, PASSA O COMERCIAL, SE TENHO MAU HALITO NINGUEM FALA PARA MIM, SE TENHO BORBULHAS AS MULHERES NAO QUEREM FODER COMIGO, O CARRO, O MECANICO, O EMPRESTIMO, A HIPOTECA, O QUARTO DE HOTEL QUE TINHA LENÇOIS QUE CHEIRAVAM A MOFO,A MENSTRUAÇÃO ATÉ OS ORGASMOS ACABAM POR SER SEMPRE IGUAIS CARALHO!!! A VIDA NAO É NADA DE ESPECIAL!!!! SABEM O QUE HÁ DE ESPECIAL NA VIDA?? NOS!!! NOS MESMOS!! NOS É QUE SOMOS ESPECIAS O RESTO E OS OUTROS É UM GRANDE NADA!!!

De inconfidente a 06.05.2005 às 14:39

Calma amiga...o tempo cura tudo!

De zemaria a 06.05.2005 às 16:30

Raquel, lamento essas lamurias. Lamento q não ligues bóia ao teu marido. Lamento não perceber os comentários do SAM.

De Vampiria a 06.05.2005 às 16:51

"Que as lágrimas deslizem pela face, que se transformem em pedras e que em pedra se torne o meu coração"...é o meu desejo neste momento...espero que encontres rapidamente um "gosto muito de ti" muito sincero...* *beijos grandes Raquel*

Diz lá




O que queres saber?

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Velhas confissões

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D